Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Segunda-feira, 26 de Maio de 2008

Ando para aqui sem sentido

 

(Óleo sobre tela CEZANNE)

 

 

 

 
ANDO PARA AQUI SEM SENTIDO
Rogério Martins Simões
 
Ando por aqui sem sentido
- meio despido, meio vestido…
Ando por aí sem estar cansado
de marginais interrogações.
Analisemos as questões:
vistas as coisas não avisto nada!
Nada, sempre nada…
só o nada se renova!
Renovar é o caminho seguro
para desaparecer…
Existir é morrer.
A lamúria não basta para deprecar
o meu estado de alma
que nem sei por onde anda.
 
Viajo na carapaça de um caracol,
lentamente,
e o tipo que aguente.
Esmago a passo de lesma
o peso que torna
e me transforma
num pedaço de tudo...
 
Tantas interrogações sem ressentido!
Ando invertido e o inverso
é o reverso do meu estado de alma.
 
Aluguei um espaço na lua
era ainda criança.
Deixei de o ver
já era adulto
e, no indulto,
a lua cheia ficou minguante.
Seco a cada instante
os pergaminhos da sorte
sem me lembrar do reverso.
– Como eram os cordeirinhos?
 
Não largo o caracol,
pernas para que as quero,
quanto mais devagar melhor!
Estarei a apreciar o meu espaço lunar?
 
Olha! É quarto crescente!
Que Deus te guie e aguente.
Repara! Ontem não estavas nisto,
enterrado até ao pescoço,
ala moço
que se faz tarde!
É tarde! Não existo…
 
Lisboa, 8 Junho de 2006

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página
publicado por poetaromasi às 23:44
link do post | favorito
 O que é? |  O que é?

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved