Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Teve mais de 3 milhões de visitas e mais de 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008

Meu tempo corre...

Foto de 1970 nas Caldas da Rainha. Serviço Militar

 À esquerda um camarada que ficou em 2º lugar na prova da Unidade militar no 2º turno de 1970. À direita, eu, o então atleta do Sporting Clube de Portugal, Rogério Martins Simões após ter vencido a corrida final da Unidade. Como o tempo corre! Resta-me a lembrança e as "voltitas" que a Parkinson me deixa fazer. E por meio de tudo isto, ainda existe alguma esperança apesar de muitas vezes me sentir demasiado desesperado e  triste...

Sejam todos felizes com muita saúde!

Rogério Simões

ROMASI

 

 

MEU TEMPO CORRE
Rogério Martins Simões
 
Meu tempo corre!
Corre sem tempo…
E lentamente trepo
Nas minhas ilusões…
 
Os meus sentidos
Quase não são sentidos;
E os meu passos
São passos perdidos
Em busca do tempo.
 
Meu tempo corre.
Corre o meu tempo.
Mas não tem sentido:
Sem ilusões!
Sem paixões!
Inalterável e perdido…
 
O tempo corre
Corre em todas as situações
Volta quando se descobre
Os sentimentos e as emoções.
 
Que importa que o tempo voe
Se teu voo é um navio
Que não parte sem saudade.
Que importa que teu ai ecoe…
Se o grito é um pavio
Chama e hino à liberdade…
 
Bendito sejam os laços
Sem baraços nem sarilhos…
Correm bem cedo a meus braços
Os meus queridos filhos.
 
Meu tempo corre.
Corre o meu tempo.
Agora tem sentido!
1989

 

ano do poema: 1988
publicado por poetaromasi às 00:00
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved

www.PRchecker.info