Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Terça-feira, 5 de Maio de 2009

Todas as viagens são curtas

 

SEIXAL

 

 

 

Todas as viagens são curtas
Rogério Martins Simões
 
Todas as viagens encurtam as distâncias que nos separam do fim.
Que fim terá a viagem se a viagem for desesperante?
Desespera quem espera?!
Desespera quem não tem espera?!
A partida é sempre uma espera.
Compasso de tempo!
Que compasso?
Se passo pelo tempo em constante viagem.
 
Olhai os rostos.
Que rostos!
Reparai nas mãos!
E nas roupas que cobrem ou encobrem as mazelas.
Que bonitas são elas!
Com vestidos de chita.
E os olhos?
Escolhos, tapados com alfinetes!
Alfinetes de dramas!?
Damas compenetradas nas carreiras adiando para sempre um filho…
 
Lê-se um livro que teima em viajar.
Já não há tempo para ler!
Já nem há tempo para amar!
Que tempo ainda terei para escrever?
Disfarço o caderno e traço a escrita!
Raia sobre este Tejo.
 
Barco – Seixal – Lisboa
Agosto de 2008

 

 



 

 

PLÁGIO
 
Uma das vantagens da Internet, nomeadamente do GOOGLE, é a de conseguir localizar os nossos trabalhos ou até parte deles.
Sempre autorizei a editarem os meus poemas com os devidos créditos.
Ao acaso procurei no Google pelo nome do poema, “DURMA MINHA MÃE”, que em tempos editei no meu antigo blog, e fui detectar este poema, publicado num blog, sem que constasse o meu nome. Esta situação é recorrente. A amostragem foi de 1 para mais de 300 poemas e o resultado está à vista. Já não é a primeira vez que isto acontece, tendo no passado localizado poemas meus inteiramente plagiados.
 
Não sei qual o interesse do plágio na poesia. A poesia é algo muito pessoal, de estilo próprio e, no meu caso, escrita com a minha alma.
Aconselho vivamente aos plagiadores a plagiarem, também, as minhas dores para não ficarem só com os textos, ou com os poemas, que tenho escrito e livremente dado a conhecer. Assim é batota!
 
Estas atitudes merecem a minha e a vossa reflexão.
A minha poesia “sai” espontaneamente, sem ser por encomenda. Assim, quando edito um poema que escrevi naquele momento, não me preocupo com o seu registo.
Nunca quis ser mercantilista da poesia. Porém, começo a ponderar não mais editar os meus novos poemas, neste ou em qualquer blog, embora a sua maioria esteja legalmente depositada e salvaguardada.
Se continuar a publicar é unicamente por todos aqueles que ao longo destes 5 anos me incentivaram a escrever e que sem nada dizerem se identificam com o que escrevo.
 
Mensagem deixada no blog onde não se respeita, por omissão, o criador do poema.
 
Li neste blog um poema da minha autoria que a sua autora não colocou os devidos créditos. Este poema foi escrito em Janeiro de 2005, editado no meu antigo blog e remetido à grande poetiza Brasileira Fátima Irene Pinto quando sua mãe faleceu aí no Brasil. O poema encontra-se registado em Portugal.
Nunca me atreveria publicar um poema sem colocar o seu autor. Por certamente se tratar de um erro agradeço que coloque o nome do seu autor. O meu: Rogério Martins Simões
(Não coloco o link, aliás, facilmente localizável através do Google - a autora não merece publicidade ao seu blog!)
 
Na zona dos comentários deixo uma pequena amostra dos plagiadores. Um deles copiou todos os meus poemas editados até 2006. Grande poeta!
 
Fico farto! O Plágio é tanto que chega ao ponto de disputarem a autoria dos meus poemas. Um já se retratou! Ainda só procurei no Google por 7 poemas e já apareceram centenas de plagiadores ou que omitem a autoria dos poemas.
Fui encontrar um poema que foi editado por mim num livro em Almada também já, noutro local, plagiado.
Existem alguns que até transformam os poemas em pensamentos e dizem que os poemas são desconhecidos. Uma verdadeira clonagem, pirataria da pior.
 
Encontrei um poema metido disfarçadamente no meio de outros. Isto assim não dá!
Sejam todos muito felizes. Respeitem os direitos de autor, afinal apenas exijo que coloquem o autor do poema. Será muito?
Façam um teste com um poema vosso. Coloquem parte de um poema no Google busca personalizada com esse texto obrigatório e vejam quantos assumiram a autoria dos vossos poemas.
Para aqueles que colocaram a autoria obrigado. Para a maioria, aqueles que gostam da minha poesia, contem comigo aqui ou noutro lugar. Vou repensar tudo isto e talvez editar em livros os meus poemas.
Obrigado
Rogério Martins Simões
ROMASI
 
PS: não encontram no meu blog um único poema que tenha sido plagiado!
Poemas de amor e dor conteúdo da página
ano do poema: 2008
Notas: PLÁGIO
publicado por poetaromasi às 20:40
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |  O que é?
Comentários:
De poetaromasi a 7 de Maio de 2009 às 00:13
AQUI VAI UMA LISTA DE PLÁGIOS aos meus poemas.
Chego a ter mais de 10 autores para um único poema.
Penso desistir! Estou a ficar farto!
Vejam uma pequena amostra de plagiadores
MAIS PLÁGIOS
Plágio voltei
http://teresa-mika.spaces.live.com/blog/cns!CE8D96B39CBAE36D!1362.entry?ccr=6307#comment
http://ampini.blogspot.com/2008/05/sou-vou-mas-volto.html

http://www.meadd.com/vampiromaluko/3564446
http://www.flogao.com.br/jac16/foto/103/81800156

http://horasimpossiveis.blogspot.com/2008/06/voltei.html
http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/message/811


Há em mim Plágios
http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/messages/827?threaded=1&m=e&var=1&tidx=1

ESTA VIDA NÃO VIVI

http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/post?act=reply&messageNum=832

http://cpoesia.esenviseu.net/index.php?option=com_content&task=view&id=543&Itemid=1#maxcomment1017


Natureza morta

Nem a natureza morta escapou ao plágio. Você é mesmo um embuste.

http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/post?act=reply&messageNum=833

UM SORRISO

http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/message/838

ÁGUA SALGADA

http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/message/844

FELICIDADE
Plagiadores
http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/message/851

PAI e texto sobre a oferta de uma cadeira
http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/message/855

ASA DE BORBOLETA
http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/message/876

QUANDO ME ENCONTRO CONTIGO
http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/message/876

ESTAMOS A TEMPO?.
http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/message/882

MOCIDADE

http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/message/886
http://br.groups.yahoo.com/group/mundodesconhecido/post?act=reply&messageNum=886
De Voos Baratos a 3 de Julho de 2009 às 15:06
Gosto dos seus poemas! Apesar do plágio não desanime!
De poetaromasi a 7 de Maio de 2009 às 00:58
PLÁGIO como detectar

Façam o seguinte:

Abram o motor de busca do Google. Por exemplo neste link

http://www.google.pt/advanced_search?hl=pt-PT

seguidamente já na pesquisa avançada procurem por um texto ou parte de poema vosso

Pronto é só abrirem os sites ou blogs e identificarem os plagiadores.
De Maria Teresa Fernandes a 7 de Maio de 2009 às 17:52
A autora do blogue em que deixou a mensagem não precisa que lhe façam qualquer publicidade ao mesmo...merecer ou nãoque o diga quem bem a conhece.
Suponho que Romasi não se apercebeu que oespaço tem quatro pessoas, não tendo sido a criadora do mesmo (Docetere) que postou o que diz ser poema da sua autoria e com o nome de Hamilton Afonso, não sem qq nome como pode ainda constatar.
Eu também escrevo o que espontaneamente me sai dos sentimentos e apesar de ter muitos poemas com direitos autorais salvaguardados e em livro , mesmo , não me incomodo demasiado quando alguém os usa mesmo sem atribuição dos devidos créditos , desde que com isso sejam felizes , costumo eu dizer...e o mesmo relativo a milhares de fotos da minha autoria...Mas respeito a sua posição e que cada um reaja como acha que deve...As dores a que se refere , não sei se ultrapassarão as minhas, tendo sido, também aqui na net e há uns seis anos que amigos , conhecidos e colegas me têm apoiado e encorajado...Se quanto a si não mereço sequer divulgação do site do blogue é porque se me conhece não o deve ser na verdadeira dimensão...Mas quem sou eu para o contrariar!!!
Aproveitou, entretanto para fazer divulgação do seu num dos meus blogues e de grupo, acusando indevidamente, já que quem postou o seu poema não fui eu mas uma das colaboradoras e acredite, isso sim, que eu não vou confirmar a autoria de cada poema que colocam...Eu quando o faço coloco o autor e a fonte respectiva se a souber ou caso apareça sem nome de autoria coloco entre aspas e dom autoria desconhecida, para que quem o escreveu possa mesmo identificar-se...Detesto batotas seja em que for e jamais o faria com que expõe na poesia os seus sentimentos, sejam de dor ou de alegria.

Vou comunicar à minha colaboradora Zira ...que certamente comentará onde encontrou o poema ou se foi alguém que lho mandou como se fosse dele.

Pela minha parte, lamento o sucedido e as ilacções que indevidamente tirou vou fazer esquecer para não acusar de difamacção indevida.

Com os melhores cumprimentos

Maria Teresa Fernandes =Docetere
De poetaromasi a 7 de Maio de 2009 às 18:20
Agradeço a sua explicação. Lamento que tenham editado mais que um poema meu como sendo de outro autor.
Compreendo no entanto que um blog colectivo não pode ser inteiramente controlado. Gostaria de saber quem é o plagiador para, juntamente com outros que plagiaram, serem denunciados. São os leitores que estão a ser enganados. Eu os escrevi! Outros os plagiaram!
Já que escreve, edita livros, gostaria de saber que os seus poemas foram assumidos por outros?
Sugiro que coloque parte dos seus poemas no Google e veja se foram copiados. Se encontrar poemas seus plagiados ficará feliz? Se visse um poema seu assinado por mim que faria?

Os meus foram encontrados nos locais onde deixei mensagem e encontravam-se assinados por outros autores. A falta de ética leva a que muitos dos meus poemas tenham sido assumidos por diversos plagiadores.
A bem da poesia deveríamos unir as mãos e lutar contra a fraude.
Cumprimentos
Rogério Simões



De MTF a 7 de Maio de 2009 às 22:40
Estou de acordo com algumas das suas opiniões mas a mim" não acenta a carapuça" ...não sou plagiadora, não conheço o plagiador e apesar de respeitar as diversas opiniões não concordo com a(opinião) que injustamente (e injustiças detesto), deixou a respeito da AUTORA DO SITE ONDE TINHA DEIXADO A REFERIDA MENSAGEM.

Saudações poéticas.
De poetaromasi a 8 de Maio de 2009 às 01:38
Respondo aos comentários que recebi no meu anterior poema.

1.º Sempre autorizei e nunca questionei a cópia dos meus poemas.
2.º Ninguém, por certo, gostará que escrevam que o autor é outro.
3.º Não pretendo ofender quem colocou poemas meus pirateados. Acredito que quem os editou o fez por bem. Estou magoado mesmo é com aqueles que cortaram e colaram poemas meus; com aqueles que se assumiram como autores dos meus poemas.
4.º Chega ao fim mais um blog de poesia. Ficam infelizes os plagiadores! Deste lado acabou a matéria para o plágio.
De Agencias de Viagens a 25 de Julho de 2009 às 13:31
Este poema é muito bonito, tal como os outros que escreveu! Não vale a pena desanimar por causa do plágio, isso só mostra que eles estão bem escritos! Infelizmente isto acontece na internet!
De rui rebelo a 7 de Maio de 2009 às 22:53
Caro amigo poeta. Infelizmente já me deparei com casos semelhantes no que respeita a poemas escritos por mim e, a princípio , confesso, senti-me devastado com a baixeza. Hoje não valoro esse tipo de atitudes porque denotam a pequenez das pessoas que o fazem e, se queres saber, aumentam a minha auto-estima. Se me copiam é porque acham que fazerem-se passar por mim é uma coisa boa. Que tal veres as coisas sob uma perspectiva diferente? Deixa-os copiarem, plagiarem e afogarem-se nas suas mediocridades. Vive com plenitude e continua a criar.

Até aos 19 anos, morei em Almada e a minha mãe ainda mora aí. Também vivi em Corroios, em Vale de Milhaços e no Barreiro. Desde há 3 anos moro em Leiria. O lugar onde vives é mais do que familiar para mim.

Um abraço

Jorge Rebelo (Madrigal)
De poetaromasi a 8 de Maio de 2009 às 01:40
Um abraço de muita estima
Rogério Simões
De MTF a 8 de Maio de 2009 às 14:05
Concordo com Madrigal ao dizer que se copiam que sente aumentar a "auto-estima"...a minha não aumenta muito, qd o fazem com os meus pq são de enorme singeleza os desabafos que escrevo, essencialmente no sentido estrutural ... mas se o fazem é pq gostam ou porque sentem tb assim, não tendo , no entanto palavras próprias para tal manifestarem...Mesmo assim sou anti plágio.

Não deixe de deliciar muita gente com a sua poesia, Romasi...o acto de partilha é importante...CRIE cada vez mais , edite em livros, ponha aqui e que não paguemos todos devido a plagiadores sem escrúpulos...Zira já o contactou?
Abraço
M. Teresa
De ALZIRA MARRAO a 8 de Maio de 2009 às 15:50
Caro Rogério

Minha intenção! nunca foi plagiar seu poema...
Encontrei-o num blog ... achei bonito e postei no blog onde sou colaboradora
Peço desculpas... se houve plagio não fui eu ... a batoteira !
Gosto da sua poesia encontro-a frequentemente em blogs de recados para sites sociais .
Em relação a dores... as suas melhoras ...!!
Continue a escrever ...
Eliminei a poste no blog tal como o amigo pediu!
Fique bem e tenha uma boa tarde

Um abraço


Zira

De poetaromasi a 11 de Maio de 2009 às 00:04
Consegui descobrir quem é o plagiador que assina um número indeterminado de poemas meus.
Hemilton Afonso, é de Cabo Verde de Santa Maria do Sal e tem supostamente 53 anos.
Localizei-o, seguindo os rastos do nome dele mais parcelas de poemas meus.

Encontrei-o no HI 5 mas não aceita mensagens.
http://rtp-pt.hi5.com/friend/profile/displayProfile.do?userid=135587271

Já plagiou o poema "A MINHA POESIA DE HOMEM SOLTO" . Fiquei com cópia que tirei deste link

BASTA!
Rogério Martins Simões

De pico minha ilha a 12 de Maio de 2009 às 15:21
Odeio plágio e também já encontrei o que escrevo nos blogs de outros, ultimamente nada tenho procurado pois nem tempo tenho tido.As pessoas que o fazem não tem carácter nenhum.Gostava se possível que me disse-se como registar os textos, pois vivo nos Açores e não sei como faze-lo.Aqui neste meu blog encontra meu mail se puder responder.Obrigada e resto de bom dia.Salomé.N.S.A

Comentar post

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved