Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Teve mais de 3 milhões de visitas e mais de 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Terça-feira, 9 de Fevereiro de 2010

Lentamente...

 

 

 

Lamentavelmente, alguém modificou o meu código html e só há pouco dei por isto. Mesmo com muita dificuldade, tenho estado acamado, tentarei repor o blog.
Todas estas atitudes agravam significativamente o que resta da minha fraca saúde, aliás, espelhada neste poema.
 
A quem alterou os códigos peço que me deixe em paz. Só não entendo o motivo e como conseguiu destruir o que tanto trabalho me deu. Para já não conseguiu os seus intentos. Poderá até destruir todo o blog, porém, não será por si que deixarei de dar a conhecer livremente a minha poesia.
 
Quero apresentar o meu pedido de desculpa a todos os que comigo partilham e gostam, ou não, da poesia que escrevo. Obrigado pela compreensão.
10-02-2010 13:14:59
Rogério Martins Simões
 
 
Depois de tanto trabalho para repor o blog alguém, que não tem mais que fazer, voltou a atacar e alterou (não sei como) o código html.
 
Vou tentar recolocar o que tinha feito e apresento desculpas por tudo isto que me está a acontecer.
10-02-2010 16:12:34
Rogério Martins Simões

 

LENTAMENTE
Rogério Martins Simões
 
Lentamente...
Cerro os meus olhos sem os abrir...
Perco a esperança sem a ter;
Fecho o rosto e o sorrir;
 
Ai! Este vazio incómodo:
Esta amarga dor que, na dor, nem se sente;
Este dilacerar que, por estar, não está presente;
Esta tristeza que fere e me faz frente;
Esta agonia, de fel, que me mata lentamente;
 
É urgente
que me ausente
deste vazio que me toma lentamente...
Lisboa, 08-02-2010 19:36:33
 
(Diálogos da Alma com o poeta,
diário de um doente de Parkinson)  

 

publicado por poetaromasi às 15:07
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |
Comentários:
De Verdinha a 9 de Fevereiro de 2010 às 16:16
Caro Rogério,

A vida nem sempre é um mar de rosa. Todos nós temos pedras no caminho e temos que tentar evitá-las, levantar-nos quando caímos e continuar o nosso percurso.
A tua agonia está lindamente escrita mas, se me permites, aconselho-te a não te fechar nela, a deixá-la para trás e continuar com a cabeça levantada.
Eu também sofro fisicamente mas gosto de partilhar a minha boa disposição e esperança através dos meus textos no meu blog e no voluntariado sem ninguém se aperceber do meu sofrimento. Ainda hoje, os meus alunos seniores riram-se várias vezes quando falei do que faço no Carnaval e dos passinhos de chachachá que dei para mostrar a diferença entre um gato chat em francês) e esta dança....E muitos deles bem precisam de alegrar a vida deles e sinto que faço um pouco por eles. Todas as semanas, vejo o sorriso deles quando me vêem chegar para lhes ensinar os segredos da minha língua e ao sair da aula, mesmo se me custou esticar o braço para escrever no quadro, sinto "missão cumprida"...

Deixo-te aqui beijinhos verdinhos de esperança

Verdinha
De poetaromasi a 5 de Março de 2010 às 00:07
Obrigado Verdinha, é só poesia!
De poetaporkedeusker a 11 de Fevereiro de 2010 às 14:22
Poeta Romasi,
Desejo, do fundo do coração, que possa melhorar e que deixem de "brincar" com o seu blog.
Aconteceu-me qualquer coisa vagamente semelhante há bastante tempo e sei bem como pode ser penoso.
Um abraço solidário.
De poetaromasi a 5 de Março de 2010 às 00:08
Obrigado,
a saga continua e terei pena se destruirem o blog, afinal que inveja têm da minha poesia que nem tem preço!
De poetaporkedeusker a 5 de Março de 2010 às 14:49
São as coisas mais preciosas que temos, aquelas que não têm preço, meu caro poeta.
Espero que não se deixe abater por isso e que o seu blog continue a poder crescer em paz.
Enorme abraço!
De poetaromasi a 5 de Março de 2010 às 16:39
Um abraço poeta,
Obrigado. A poesia é para muitos o que resta e o traço que se deixa. O resto passa e não presta ou se presta a não ter pena em se deixar...
De adriana a 18 de Fevereiro de 2010 às 00:24
Vi pela primeira vez seus poemas em 2007, gostaria de obter mais informações sobre vc, bjs
Sua sensibilidade é profunda, forte, sofrida...
Adriana Martins
martins.r.adriana@gmail.com
De poetaromasi a 5 de Março de 2010 às 00:12
Adriana,
Sou apenas e só um poeta.
Sou filho da luz onde me quero deitar para um dia sorrir num prado qualquer...
Tem o meu e-mail pergunte que responderei
Todavia tudo está, aqui, na poesia que escrevo e aquela que destrui.
De Adriana Martins a 18 de Agosto de 2010 às 09:40
Amigo, nunca se deixe abater por nada, numa de minhas poesias falo que somos pegadas na areia da praia e que um dia a onda vem e destroi tudo, mais que poucos deixam suas pegadas ali...vc é assim
Desejo muita luz, amor, tranquilidade e força, quando tiver um tempo vai ate meu blog
http://meperdidemim.blogspot.com
a poesia esta la, agradeço a resposta,bj vc
Adriana Martins
De Marcia a 4 de Março de 2010 às 22:41
Hoje pela primeira vez li alguns dos seus poemas,,, e sinceramente chorei,,, nao por pena de si,, nem pela sua situaçao de saude,,, mas sim com pena de mim,, por tantas vezes nao ter esta força esta coragem que voçe aqui demonstra nos seus versos!!
obrigado por escreve-los e sobretudo partilha-los,,, obrigado pela sua força,,, continue sempre,,, e quando ja nao conseguir ,,, saiba que ja contribui para enriquecer a vida de alguemm!
De poetaromasi a 5 de Março de 2010 às 00:19
Acabei de soltar o seu comentário...
A minha esposa anda sempre a dizer-me para não publicar os meus choros. Tem razão! Terá?
Quantos poetas choraram e chorando molharam a escrita. Secaram-lhes as lágrimas quando partiram...
Nunca escrevi para que tenham pena de mim! A minha única pena é de não morrer a rir...
Obrigado pelas palavras do coração.
De dicas de filme a 20 de Julho de 2010 às 17:27
Sou amante da boa e apaixonante poesia
E sendo assim venho parabenizar por este fantástico blog

Comentar post

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved

www.PRchecker.info