Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Teve mais de 3 milhões de visitas e mais de 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Terça-feira, 10 de Maio de 2011

Primavera

 

(FOTOGRAFIA DE Rogério Martins Simões)

 

 

PRIMAVERA

Rogério Martins Simões

 

Há pouco,

quando a noite deixou de chover;

quando o gelo se deixou derreter…

fiz-me à estrada.

Estou a andar! Preciso de andar.

 

Releio e vejo

Florbela Espanca,

Lívida da febre,

em seus versos tristes,

(delírio),

 a escrever a “má visão”.

Revejo-a ali,

naquele branco lírio,

entre os pinheiros crescidos,

do horizonte,

e à distância a que me encontro,

defronte,

neste espaço do caderno.

 

Esvoaçam lágrimas

volto a andar por veredas

sem antever que rente

revejo o trilho doente

 da sua aparição…

 

Esta noite choveu,

ando,

estamos a andar…

 

Olho o monte das folhas secas…

Onde despontam os matos

E os cogumelos de tantas cores.

 

O sol está raiando

Tenho luz à tua espera…

Vai! É primavera!

 

À minha frente abre-se uma estrada,

entre pinheiros,

que tenho de percorrer.

Não posso parar;

Gostamos de escrever.

Vai! É primavera.

 

Um melro assobia,

outro responde

-É primavera!

 

Um besouro chegou,

sei lá de onde?

Chegou!

É Primavera

 

Os botões das roseiras

dão-se a conhecer

às folhas novas

que os viram nascer:

-É primavera

 

Duas borboletas ensaiam um baile.

Vieram ter comigo.

Querem ir contigo…

Na primavera.

 

O sol está queimando

Temos luz à nossa espera,

Vai…

Que eu estou chegando…

É primavera!


Campimeco, Praia das Bicas, Meco, 1/4/2011

(Registado no Ministério da Cultura

Inspecção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.C.

Processo n.º 2079/09)

 

 

 

publicado por poetaromasi às 00:10
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |
Comentários:
De Fátima Soares a 10 de Maio de 2011 às 10:51
Maravilhoso poema, também adoro fazer poesia e escrevo muito um beijinho gostaria se quiser que me seguisse, seria uma alegria saber a sua opinião sobre o que escrevo e uma honra. Beijinhos

Comentar post

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved

www.PRchecker.info