Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Teve mais de 3 milhões de visitas e mais de 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Sexta-feira, 11 de Maio de 2012

Quando nas mãos de amor me vi sujeito

Quando nas mãos de amor me vi sujeito

João Xavier de Matos

 

Quando nas mãos de amor me vi sujeito,

A razão em mil erros consentindo,

Jurei de nunca mais, em lhe fugindo,

Sujeitar-me a seu bárbaro preceito.

 

Ora pude escapar-lhe, e ver desfeito

O duro laço, que me andara urdindo,

Até que pouco a pouco fui sentindo

De novas chamas inflamar-se o peito.

 

Olhando então por mim, achei quebrada

A ligeira promessa, a um brando rogo,

Por minha própria mão sacrificada;

 

Que juras contra amor, por desafogo,

São votos de tormenta já passada,

Que depois de serena, esquecem logo.

 

(tomo I de Rimas)

João Xavier de Matos, nasceu entre 1730 e 1735 numa povoação designada por Ribeirinha do Tejo e faleceu em 1789, em Vila de Frades

publicado por poetaromasi às 00:54
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved

www.PRchecker.info