Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Quinta-feira, 13 de Junho de 2013

Lisboa é a minha cidade

Lisboa é a minha Cidade!

Rogério Martins Simões

 

Mote

 

Minha terra é a mais bela,

É bela, e não tem idade,

Vigio-a da minha janela:

Lisboa é a minha cidade

 

Glosa

 

Com o fado a meu lado,

E sete colinas em flor,

Beijo o fado por amor,

No Castelo enfeitiçado:

Perdido vou em pecado.

Viajo na canoa à vela,

Vejo Alfama aguarela,

Rio acima com ternura,

Subo o Tejo na ventura

Minha terra é a mais bela!

 

Mouraria vem navegar...

À desgarrada partir.

O meu amor não quer ir,

É tarde, vamos marchar,

Se partir hei de voltar.

No chão flores de jade

Madragoa é qual saudade

Doce encanto, sacro mel,

Nunca me soubeste a fel.

É bela e não tem idade.

 

Coração apaixonado,

No trinar duma guitarra,

Está frio, veste a samarra.

Bairro Alto, meu pecado,

Boémias e noites de fado.

Cravos rubros na lapela,

Não passes por mim sem ela,

Voltei e já fui à Graça,

Por São Vicente se passa,

Vigio-a da minha janela.

 

Subi à Bica, e vou a pé.

A pé desci ao Rossio,

Carícia do Paço ao rio,

E Santo António da Sé,

Entrei, e rezei com fé!

Sete morros de amizade,

Vivendo em liberdade,

Resguardam estes tesouros:

Latinos, Godos e Mouros,

Lisboa é a minha cidade!

 

Lisboa, 23 de janeiro de 2008

Alterado 28-11-2010 20:53:42

(Registado no Ministério da Cultura

- Inspeção-Geral das Atividades Culturais I.G.A.C. –

Processo n.º 2079/09)

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página
publicado por poetaromasi às 21:33
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |  O que é?

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved