Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Segunda-feira, 22 de Maio de 2006

DOM TESO - Poesia erótica e satírica portuguesa

 

Poesia Erótica e Satírica Portuguesa

 

Fui desafiado, por de um grande poeta e amigo do Brasil, para colaborar numa sua iniciativa sobre o tema

“HUMORES BREJEIROS EM FORMA DE SONETO (PERFEITO OU IMPERFEITO) “.

Resolvi participar, respondendo sim ao seu desafio, e escrevi uma simples brincadeira, brejeira, a que chamei “Dom Teso”.

Umas palavras mais:

Natália Correia foi a pioneira na divulgação deste tipo de poesia. Todos certamente se recordam e alguns até possuem (como eu) da sua “Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica”.

Fazem parte desta colectânea poetas consagrados, como Bocage e, ainda outros, como por exemplo: Luís de Camões, Martim Soares, Padre Braz da Costa Mendonça, Filinto Elísio, Abade de Jazende, Gomes leal, Guerra Junqueiro, António Nobre, Augusto Gil, Natália Correia, Alexandre O´Neill, Ary dos Santos, Eugénio de Andrade e muitos mais.

Desconheço se a Editora “Afrodite” já reeditou a Antologia que é uma referência na comunidade Luso-Brasileira, ou, como dizia David Mourão Ferreira:

- «Finalmente!» «Até que enfim!»

Esta é a minha humilde contribuição, brejeira, à memória da grande poetisa Natália Correia.

 

 

DOM TESO

Rogério Simões

 

Estava Dom Teso a descansar

No meio dos seus dois colchões

Quando uma moçoila ao passar

Deita a mão ao seus…melões

 

- De pé! Ao seu lugar!

Vamos à procura de luta

Não se pode assim deixar

Quem apalpa tão bem a fruta!

 

E se a atrevida era esbelta!

Tinha um corpo de atleta!

E um “papo” que nem um nabo!

 

E eis já todo aprumado…

Grita o dono transtornado

- Pára Dom Teso que é rabo…

 

12-12-2004 21:33

Poemas de amor e dor conteúdo da página
ano do poema: 2004
publicado por poetaromasi às 22:30
link do post | favorito
 O que é? |  O que é?
Comentários:
De batista filho a 28 de Maio de 2006 às 05:10
Amigo-irmão, permita-me tratá-lo assim, pois é assim que te sinto, apesar de tão pouco contato: como é bom ler os teus versos!
De Cris a 24 de Maio de 2006 às 01:28
Rogério, nem imaginas com que alegria eu vim aqui! Estava na "minha" ilha favorita, do meu maninho João e quakl não é o espanto vejo-te lá!!!! Fiquei tão feliz, Amigo!!! Ganhei o serão ao ler-te!!
Beijo nas tuas mãos Poeta Doce e um beijo no coração da tua cara metade que só pode sentir-se muito vaidosa por te ter por companheiro de todas as horas!!!
Estou feliz!!! Obrigada, Amigão
Com muito carinho, Cris
De Joo Chamio a 24 de Maio de 2006 às 00:03
Ser poeta é ser um fingidor, é sonhar e falar verdade. Ser poeta é ter a faculdade de viajar por entre as estrelas. É amar quem ama e quem não. Só se é poeta após a morte da pessoa. Da pessoa apenas, já que os poetas nascem quando o seu corpo morre e a obra poética passa a ser conhecida públicamente, reconhecida e apreciada.
De Mestrinho a 23 de Maio de 2006 às 14:40
Saudações Rogério. Espero que estejas bem, vim cá deixar um abraço. "Ser poeta é criar e sofrer todo o dia", muito autêntico.

Comentar post

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved