Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2007

VOLTEI! (Reeditado)

 

Rogério Simões

 

3 meses

(5/7/1949 - 5/10/1949)

 

 

 

 

VOLTEI!
 
(Rogério Martins Simões)
 
Venho dos limites do tempo
De uma galáxia qualquer
Já fui mar, já fui vento
Agora sou pensamento
Aparado em dado momento
No ventre de uma Mulher!
 
Meu corpo é magistral!
Brutal! Perfeito! Soberbo!
De início não era verbo
Agora sou o verbo ser
 
Tenho comigo segredos
Segredos do universo
Transporto no corpo recados
Escrevo em forma de verso.
Venho dos limites do tempo
Não sei o que fui e sou:
Deserto? Nascente?
Já fui Norte, já fui Sul
Pó astral, mar azul!
Luar, estrela cadente.
 
Eu me vou!
Partirei num cometa qualquer
E serei novamente pôr-do-sol.
Cor-de-rosa, aloendro, malmequer!
 
Voltei...Já cá estou…
Agora sou pensamento
Nascido em dado momento
Do ventre de uma Mulher!
 
23-09-2004 18:39
Aldeia do Meco
 
(Este poema foi gravado em MP3 pelo Luís Gaspar nos Estúdios Raposo – para o programa “Lugar aos novos” – e pode ser copiado seguindo o link no lado direito.

 

ano do poema: 2004 Favorito
Notas: Karunesh\Nirvana Café\03 Blessings Rain Karunesh Nirvana
publicado por poetaromasi às 00:00
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |
Comentários:
De Intemporal a 18 de Janeiro de 2007 às 23:50
Impossivel passar por aqui, ler estes poemas onde impera FORÇA e SENTIMENTO profundo sem escrever: PARABÉNS.
Não nos PRIVE destes momentos, por favor!!!
De poetaromasi a 19 de Janeiro de 2007 às 02:41
Grato. Obrgado e que uma força qualquer nos devolva a paz, a esperança a todos.
Rogério
De mariavaladas a 25 de Abril de 2007 às 23:51
Quanta força neste teu poema declamado por palavras silenciosas....
Sinto-me pequena, perante a tua obra!

Oh poeta...não cales o teu pensamento... deixa-nos mergulhar nele....

Abraço amigo da

Maria Valadas
De poetaromasi a 26 de Abril de 2007 às 12:37
Maria Valadas
São palavras como as que pintaste neste meu livro de poesia que não me fazem desistir. É difícil ser poeta num país como o nosso. por isso, pela tua mensagem ainda não vou desistir. E quando a alma quiser voltarei a escrever poesia.
Obrigado e viva a liberdade.
Rogério
De seilá a 26 de Abril de 2007 às 08:57
Rogério! fiquei feliz por ver que o escrito no meu blog e agradeço! Um grande, grande abraço!
De Intemporal a 21 de Maio de 2007 às 16:32
Desaparecido de novo!? Porquê toda esta ausência, porquê ????
De Intemporal a 22 de Maio de 2007 às 20:21
Infelizmente conheço demasiadamente a doença Parkinson. Meu pai foi atingido pela doença. Começou por se medicamentar com umas cápsulas ( que não me recorda o nome) Tomava 17 cada refeição.Passou depois a tomar LD-PAR onde um só comprimido substituía o valor contido nas 17 capsulas.Falou-se ainda em operação , que na altura o Dr Lobo Antunes a fazia e era a forma mais eficiente, mas desistimos por estar demasiado avançada e receamos que o êxito não acontecesse.
Sem palavras para que possa confortar quem sofre, limito-me a dizer: FORÇA !!! NUnca desistas de lutar ...............e continua a escrever.
Um abraço com muita compreensão e admiração.
Intemporal
De Papoila a 1 de Agosto de 2007 às 22:58
Abençoado Jardim, Ventre de Mulher
que guardou tão belo malmequer ....

Gostei deste Jardim
BF
De Luis Gaspar a 10 de Novembro de 2008 às 22:46
25 data: 2006-09-25 19:52:16
Luis Gaspar ( luisgaspar@truca.pt / http://www.estudioraposa.com) escreveu:

Meu caro,
Por via do blogue "Poesia Portuguesa" cheguei à sua poesia, nomeadamente ao poema "Venho dos limites do tempo...". Gostaria muito de o ler no meu "Estúdio Raposa" no programa "Lugar aos Outros". Dê-me o seu consentimento e forneça-me uma pequena nota biográfica para que o poema não surja sem pai!
O seu blogue vai ser de leitura obrigatória e agradável para mim. Agradeço a sua resposta com brevidade porque gostaria de ler o seu poema ainda esta semana.
Cumprimentos.
Luis Gaspar
www.estudioraposa.com

(transcrição do livro de comentários que terminou)
De Verdinha a 27 de Novembro de 2008 às 10:07
Bom Dia,

Foi um prazer descobrir uma nova visita no meu cantinho verde e ler a tuas palavras nele bem como também foi um prazer entrar neste espaço repleto de belas imagens e de poemas onde as rimas nos versos predominam . É este estilo de poesia que mais aprecio porque oiço a melodia das palavras.
O meu cantinho verde é um lugar de amizade, amor, optimismo e esperança onde se "encaixa" o tema da protecção da natureza porque acredito na bondade e tenho a certeza que esta vencerá a maldade !
Portanto, continuarei a falar com certeza sobre este tema.
Abraços verdinhos
De Helder Fráguas a 7 de Abril de 2009 às 14:28
Lindo e escrito num bonito local!

Comentar post

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved

www.PRchecker.info