Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Sábado, 16 de Dezembro de 2006

óleos, poesia, Bete, Tiago e Rogério

(Óleo sobre tela - Elisabete Palma)

VESTÍGIOS…

Rogério Martins Simões

 

Por vezes faço as pazes comigo,

Sem-abrigo, viajante diurno,

Durmo ao leme, embarco e sigo,

Ponho a minha alma de turno…

 

Meus medos são cerejas fingidoras

Que se me enrolam nos dedos.

Meus medos são janelas voadoras

Que esconjuram os medos

 

Não quero esticar a corda

Sigo em frente sem enredos

Cem segredos a minha alma recorda.

Hoje sou um rio sem segredos.

Cego viajo, sem tempo acorda.

Acorda! É dia e a noite remonta!

 

É estranho viajar de dia!

Prefiro as noites cegas

Sem guia…

Que não têm regras.

Hoje, sou um farelo amadurecido!

Sou um tempo de milho

Bem-parecido

Mas só a noite me encontra!

 

23-10-2006

 

 

 

 

 

 

Tio Rogério

 (TIAGO SIMÕES)

Tens um olhar sublime como o mar
um gesto sereno como a brisa do vento
um abraçar como a luz do sol
as palavras como água de nascente.
Num gesto transformas muito
porque tens alguém junto a ti
que é como a areia molhada pelo mar
como o doce cheiro da terra no Outono
como um campo de flores quando a Primavera chega.

17/12/2006

(obrigado Tiago, meu sobrinho, pelo poema que deixaste em forma de comentário. A Bete e eu agradecemos as tuas lindas palavras.

Fico à espera de poemas teus e de fotos dos teus quadros.)

E para que conheçam um pouco da sua arte - eis este belo quadro, que adquri em 2000, em que o Tiago foi co-autor)

Rogério Simões

 

 

ano do poema: 2006 inédito
Notas: Call of the Unknown-DEUTER
publicado por poetaromasi às 21:41
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |
Comentários:
De poetaromasi a 17 de Dezembro de 2006 às 00:36
Tiago meu sobrinho
Como são magnânimas as tuas palavras, a tua poesia. Como são tão certas as que diriges à nossa querida Elisabete.
Sobrinho este livro de poesia está aberto à tua poesia, às tuas pinturas à tua arte ao teu bom gosto.
Temos em comum tanta coisa. O sangue. O meu pai, teu avô. Temos em comum esta sensibilidade este amor pelas coisas belas.
Fico tão feliz com a tua mensagem.
Teu tio que tanto te ama
Rogério Martins Simões
De Poesia Portuguesa a 17 de Dezembro de 2006 às 01:57
"...Não quero esticar a corda
Sigo em frente sem enredos
Cem segredos a minha alma recorda.
Hoje sou um rio sem segredos.
Cego viajo, sem tempo acorda.
Acorda! É dia e a noite remonta!..."

Lindo! De uma sensibilidade tocante. Gostei muito!

Vim deixar-te um Abraço e desejar-te um Santo e Feliz Natal
De Paula Raposo a 18 de Dezembro de 2006 às 10:48
Lindíssimo!! Quadros, as tuas palavras, as palavras do teu sobrinho!! Um post magnífico! Beijos meus.
De blueshell a 18 de Dezembro de 2006 às 12:17
Excelente Blog! magnífico texto!

...mas a mim...falta-me sobretudo fazer as pazes comigo mesma!
...É isso...

beijo, BShell
De Gazeta a 18 de Dezembro de 2006 às 18:13
Parabéns!

seu blog acaba de receber o Oscar dos Blogueiros, Destaque 2006 na Gazeta dos Blogueiros.

Como prêmio o link do seu blog ficará exposto por 7 dias na página principal da GB.

Parabéns mais uma vez pelo Troféu Destaque 2006.

Equipe Blogueiros.

www.blogueiros.com

De greentea a 19 de Dezembro de 2006 às 19:36
vim até aqui por um comment que deixaste na blueshell...

achei lindissimo! por isso tomei a liberdade de vir até aqui.

Um abraço
De amita a 19 de Dezembro de 2006 às 20:03
E como me encanta a ternura das tuas palavras desenhadas na Beleza das letras.
Com muito carinho te desejo umas Festividades cheiinhas de amor e Paz.
Um bjinho grande

Comentar post

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved

www.PRchecker.info