Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Sexta-feira, 12 de Outubro de 2007

FORA DE TI SOU UM NOVELO...

 

(Óleo sobre tela Elisabete Sombreireiro Palma)

 

 

FORA DE TI SOU UM NOVELO

Rogério Martins Simões

 

Erguem-se as montanhas.

Perfilam as imagens.

Vêm através de mim,

ensina-me o caminho das margens…

 

Meu amor volta depressa

Tenho as minhas mãos tão pesadas

Que nem as mando poisar

Meu amor regressa

Tenho as mãos tão cansadas

E não as posso libertar.

 

Fora de mim sou um novelo,

que se desprende,

entre os dedos alinhados.

Fora de ti sou um elo,

que se prende,

entre os dedos desalinhados

 

Tenho as mãos tão pesadas

não as consigo desapertar.

Tenho as mãos tão cansadas

Que não as consigo soltar….

 

Salta para o meu cavalo de chuva

que se ergue à porfia.

Vem de um pulo só.

Leva-me contigo depressa

 

Meu amor regressa

Tenho as minhas mãos tão pesadas

Que nem as mando poisar

Meu amor volta depressa

Tenho as mãos tão cansadas

Que nem as posso libertar.

 

03-05-2006 15:30

 

(À minha companheira BETE que pinta

e com a tinta do seu amor suaviza a minha Parkinson)

 

 

 

BETE

Amor da minha vida, minha companheira, esposa e pintora.

Não existem palavras suficientes e bonitas, (pois linda és tu!), para te expressar o que sinto neste instante, pela tua dignidade, pelo amor demonstrado ao longo destes anos de enorme sofrimento que ainda agora começa…

Este é o teu mês - balança que equilibra o que resta de mim.

Até ao dia do teu aniversário, 19 de Outubro,  voltarei a colocar aqui alguns poemas que te escrevi. Começo por este poema, “fora de ti sou um novelo”, que te dediquei quando estiveste internada e me sentia perdidamente à deriva…

Sempre

Rogério

 

Bete

Rogério Simões

 

Bete

Janela aberta

Sol penetrante, o teu,

Na hora certa:

Tão radiante e meu!

19/10/1999

 

 

www.PRchecker.infowww.PRchecker.info Poemas de amor e dor conteúdo da página
ano do poema: 2006
publicado por poetaromasi às 00:00
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |  O que é?
Comentários:
De Anónimo a 6 de Janeiro de 2007 às 01:53
Meu amigo querido!
Ainda que a tempestade seja forte.. vamos nos agarrando aqui e ali..e sobrevivemos.. mais pacientes, mais cuidadosas..
Há que saber encontrar beleza nos momentos difíceis!
Nao fique triste...pois nós já ensaiamos sorrisos.. e estamos seguras que breve virão as brisas suaves!!
beijo no teu coração
De Paula Raposo a 6 de Janeiro de 2007 às 20:12
Gostei tanto!! A imagem do 'cavalo de chuva'...Beijos.

Comentar post

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved