Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Teve mais de 3 milhões de visitas e mais de 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Quinta-feira, 15 de Novembro de 2007

Poema suave às flores a crescer e às folhas a cair

(ROMASI - foto de 1950)

 

 

Poema suave às flores a crescer e às folhas a cair

Rogério Martins Simões

 

Venham de lá as flores

Neste nosso verbo amar

Que as folhas estão caindo

As dores estão sentindo

Uma criança chorar…

 

Venham de lá as flores

E os frutos por colher

Que as dores estão sentindo

Os homens que vão partindo

A chorar e a sofrer.

 

Venham de lá as flores

E o Outono vai passar

Que as dores estão sentindo

A primavera chegar.

 

Venham de lá as flores

No milagre do nascer

Que as dores estão sentindo

As verdes folhas, crescer….

 

Venham de lá as flores

E a alegria de viver!

 

Lisboa, 1989

 

Tiago Outeiro convida

 

 

 

http://www.cienciahoje.pt/engines/image/image.php?oid=24340

ano do poema: 1989
publicado por poetaromasi às 22:28
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |
Comentários:
De Phandora a 29 de Março de 2007 às 00:40
Aplausos!

Magnífico, poucos poetas conseguem expressar tão singelamente e poeticamente os sentimentos.

Grata pelo prazer.

Phandora
De divaclaudio@sapo.pt a 15 de Novembro de 2007 às 15:27
Venham de lá as Flores
neste nosso verbo Amar
Que as folhas estão nascendo
As alegrias estão sentindo
Uma criança a nascer

Venham de lá as Flores
E os Frutos a colher
Que as alegrias estão sentindo
Os Homens que estão chegando
Alegres e Felizes.
Venham de lá as Flores
No milagre do nascer.
Que as alegrias estão sentindo
As verdes folhas, crescer...
Venham de lá as flores e a alegria de viver!!!
De poetaromasi a 18 de Novembro de 2007 às 00:33
Boa noite,
Gosto da forma como interage comigo e muito obrigado por me ter feito lembrar que este poema existe e foi por isso que o reeditei.
Ser poeta não é fácil, nunca foi fácil! Que o digam os escritos que ficaram com as almas dos poetas que partiram. A poesia é um encantamento de palavras e sentimentos, operário que acende as luzes das estrelas em noites escuras breu.
Obrigado,
Rogério Martins Simões
De poetaromasi a 18 de Novembro de 2007 às 00:21
Boa noite, Luísa,

Acabo de chegar depois de ter assistido a um encontro com 3 cientistas na FNAC.
Acabo de ler este seu agradável comentário que agradeço. É fácil destruir! Muito difícil é construir! Mas às vezes a vida traz-nos estes momentos doces quando alguém que nem se conhece dá-nos o conforto das palavras que me incitam a continuar.
Acredite ou não é para si e por si, que aqui representa todos os que diariamente me visitam, que continuo a escrever mesmo a uma mão.
Obrigado
Rogério Martins Simões

De meialua a 31 de Março de 2007 às 21:27
Olá. Vim ver as novidades e deixar um beijinho com muito carinho e o desejo de uma Páscoa muito feliz!!***
De poetaromasi a 18 de Novembro de 2007 às 00:37
Mei lua, boa noite,
Mesmo depois de muitas luas te quero agradecer. Já que não tenho tempo para visitar blogs amigos farei tudo para responder aos comentários.
Esta noite está muito fria e vou descansar um pouco.
Beijos
Rogério
De Paula Raposo a 16 de Novembro de 2007 às 22:53
Há muito que não te visitava...mas não me esqueci de ti. Não. Isso não. Que venham todas as flores abraçar-nos. Beijos
De poetaromasi a 18 de Novembro de 2007 às 00:26
Paula Raposo, que saudades!

Obrigado pelo teu carinho, pela tua amizade. Há pouco tempo lembrei-me de ti e ainda andei a procurar visitar os amigos com blogs nos meus links, mas tive de desistir.
Resta-me pouco tempo para escrever, resta-me pouco tempo para visitar os amigos que nunca esqueço.
Obrigado a ti por tudo.
Rogério
De flores a 15 de Maio de 2008 às 09:13
Poema dedicado ás flores muito bonito, gostei bastante de ler o texto.
De rock a 12 de Julho de 2008 às 00:18
muy linda la poesia
De Théfas a 13 de Julho de 2008 às 21:27

Adoro poesias, não conhecia estas, gostei muito, estava a navegar e encontrei este blog ao acaso, anotei na minha agenda e com certeza voltarei outras vezes, pois sempre vou a blogs de poemas. Parabéns

Comentar post

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved

www.PRchecker.info