Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Quinta-feira, 11 de Outubro de 2007

Estamos a tempo? Parkinson

 

(Óleo sobre tela Elisabete Sombreireiro Palma)

 

 

ESTAMOS A TEMPO?

Rogério Martins Simões

 

Estamos no tempo,

Em que o tempo passa,

Sem dar tempo

Ao tempo do amor.

 

Estamos a tempo,

Se tempo houver,

De parar no tempo

E escutar a dor.

 

E se todos virassem tempo

E escutassem o grito,

Dos que nada dizem

Em silêncio

Na revolta,

Para viverem o tempo.

 

Será que iremos a tempo,

De sermos solidários?!

 

5/4/2004

 

www.PRchecker.infowww.PRchecker.info Poemas de amor e dor conteúdo da página
ano do poema: Muito Triste!
publicado por poetaromasi às 01:00
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |  O que é?
Comentários:
De poetaromasi a 11 de Outubro de 2007 às 22:12
Queridos amigos,
No instante em que escrevo este lamento, por mim e por todos aqueles que nem se podem pronunciar - quero aqui gritar, pois sinto-me extremamente magoado, com as atitudes de alguns que pensava próximos e sabem que sofro de Parkinson.
Sofro da doença de Parkinson há mais de 5 anos, tenho o lado esquerdo apanhado pela doença que se agrava a cada momento. Segundo a Neurologista encontro-me em estádio 2 da escala de Hoehm e Yahr, que nem sei o que significa.
Àqueles que pensam que se elevam derrubando os outros, eu vos quero dizer que a vida é um tempo que não volta e de nada vale atitudes grosseiras, egoístas e de mau carácter.
Todos erramos! Quem não errou? A minha dignidade está em reconhecer os meus defeitos tentando todos os dias ser melhor.
Ficam as atitudes que magoam quando entendem que os sofrem de qualquer deficiência são uns tolos ou “bobos de corte”.
Nós os eficientes temos o direito de ser tratados com dignidade. Temos o direito à vida, temos o direito ao amor e ao trabalho enquanto o pudermos desempenhar com todas as capacidades que nos restam.
E não nos ameacem com quadros excedentários, que excedentários são todos aqueles que desfraldam a bandeira do desamor…
Rogério Martins Simões

Comentar post

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved