Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Sexta-feira, 28 de Março de 2014

NOVOTEL: AMO-TE LISBOA VIRADA AO TEJO – MURAL

AMO-TE LISBOA VIRADA AO TEJO – MURAL NO NOVOTEL

 

 

 

Como sabem, ao longo destes 10 anos de Blog com a minha poesia, muitas foram as alegrias partilhadas; muitos foram os plágios encontrados que me deixaram triste.

 

Foi através de um amigo que tomei conhecimento da existência deste Mural que muito me honra.

 

Hoje coloco aqui duas fotografias devidamente autorizadas, que consegui tirar de um lindo mural, sito à entrada do NOVOTEL, em Lisboa, com uma quadra e um terceto deste meu poema, e com a identificação do autor. E uma terceira foto do NOVOTEL através de um link do mesmo.

 

Este poema faz parte do meu primeiro livro de poesia que irá ser lançado, no próximo mês de maio, pela “Chiado Editora”, em local, data e hora a designar.

 

Para quem quiser ver aquele belo mural, que pela sua dimensão até se vê da rua, aqui deixo a morada: Avenida José Malhoa 1 1A, 1099-051 LISBOA.

 

GPS :N 38° 44' 13.13'' W 9° 9' 47.79''

 

VIVA A POESIA

 

ROMASI

 

 

(Link para foto do Hotel) (fotografia do site)

 

Amo-te Lisboa virada ao Tejo

(Rogério Martins Simões)

 

Dizem que um dia alguém cantou…

Que por amores Lisboa se perdeu!

Por amores se perde quem lá voltou.

De amores se perde quem lá nasceu.

 

Dizem que um dia alguém contou,

Que uma moira cativa no Tejo desceu.

Por amores, Lisboa, a moura libertou,

De amores, por Lisboa, a moira morreu.

 

Juntaram-se os telhados enfeitiçados,

Apertadinhos os dois e entrelaçados,

Num fado castiço, numa rua de Alfama.

 

E o Tejo, que é velho, beija a Cidade:

Morre-se de amor em qualquer idade,

Perde-se por Lisboa quem muito ama!

 

Lisboa, 20 de Junho de 2006

(Registado no Ministério da Cultura

- Inspecção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.C. –

Processo n.º 2079/09)

 

 

publicado por poetaromasi às 19:47
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved

www.PRchecker.info