Este blog nasceu em 6 de Março de 2004

Mais de 3 milhões de visitas e 4 milhões de páginas visitadas- Obrigado



Domingo, 26 de Janeiro de 2014

Resquícios

 

 

 

 

 

(Isabel Martins de Assunção, nasceu na Malhada- Colmeal - Góis em 15/2/1925)

 

 

RESQUÍCIOS

Rogério Martins Simões

 

Lentamente o tempo sorve os resquícios das inimagináveis páginas que ficaram por escrever.

Era uma vez…

Colocou as tamancas nos seus pés que nunca foram meninos.

Sorriu para o vestido de chita.

Alisou os seus cabelos finos.

Pegou na rodilha e colocou a sua aldeia à cabeça.

Conhecia os caminhos da Malhada como ninguém: longas e íngremes veredas, pastos matosos, distantes das letras apenas reservadas aos futuros homens.

E, enquanto subia ao alto da serra por velhos caminhos de cabras, ia dizendo adeus às meninas pastoras, suas companheiras, que por ali ficavam à espera das velhas casamenteiras.

Talvez um dia também as deixassem partir, ou aprender a ler e a escrever - pensava.

Finalmente alcançou o local de paragem do autocarro onde uma multidão também já o esperava.

Poisou a carrego.

Lavou-se na levada.

E levou à boca um naco de broa que trazia para a jornada.

Ouviu-se o roncar da velha camioneta que ao Farroupo chegava.

Tinha chegado a hora de partir. Entrou a sorrir mas uma lágrima disfarçava

Chegou à Lousã e tinha à sua espera um comboio que nunca vira.

Entrou e assomou logo à janela da carruagem e cantarolava.

Tudo lhe era estranho: como o fumo preto que a máquina movida a carvão deitava.

Decidida a lutar por uma vida melhor, chegou a Lisboa com seus olhos de mel.

 

Mãe

Entrei pela luz, da sua luz: tenho vida

No brilho dos seus olhos me revejo

No seu coração encontrei sempre guarida

Obrigado, minha mãe: um eterno e terno beijo

Meco, Praia das Bicas, 26/01/2014 21:53:24

ROMASI

 

www.PRchecker.infowww.PRchecker.info Poemas de amor e dor conteúdo da página
publicado por poetaromasi às 22:46
link do post | ##COMENTAR## | favorito
 O que é? |  O que é?

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved