Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda




Olha o amolador

 

 

OLHA O AMOLADOR!

Rogério Martins Simões

 

Sete notas no ar hoje ecoaram!

O pregão do Amolador anda no ar.

Por todas a casas se procuraram

Tesouras e facas para aguçar.

 

Despertou em mim a curiosidade

Fizeram-me recordar as tradições

Passado recente da minha cidade

Lisboa, de encantos e de pregões!

 

Mas o som da flauta era sonante...

Anunciava a chuva e a tempestade,

Incómoda, enfadonha e marcante

Agora, ao recordar, sinto saudade!

 

9 De Agosto de 2004

(Registado no Ministério da Cultura

Inspecção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.C.

Processo n.º 2079/09)

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Sonhos doces...

 

 

 

SONHOS DOCES

Rogério Martins Simões

 

 

Mãe, quando é Natal?

 

- Meu filho, hoje é dia de Natal!

 

Mãe; o Menino não veio, onde está a minha trotineta?

 

- Meu filho; Ele deixou-te um presente, no sapatinho, dentro da chaminé!

 

Mãe; eu pedi uma trotineta igualzinha à dos outros meninos!

 

- Meu filho; as meias fazem-te falta,

 

E, a mãe, tem “sonhos doces” para ti!

 

Mãe; Para o ano o Menino vai pôr a trotineta no sapatinho?

 

Sim meu filho!

 

Prova os sonhos!

 



 

Avô, quando é Natal?

 

- Netinho, hoje é dia de Natal e a bisavó fez-te sonhos!

 

Avô, o Pai Natal não veio, onde está o jogo que pedi?

 

- Netinho, ele deixou-te muitos presentes e, até, uma trotineta…

 

Mas, avô, não era aquele jogo que queria e para que serve a trotineta?

 

Avô; vais trocar o jogo, não vais?

 

- Sim netinho!

 

Saboreia agora os sonhos…

 

(Diálogos da alma e do poeta)

 

Poemas de amor e dor

 

Feliz Natal, e “sonhos doces” para todos vós,

são os votos sinceros deste vosso amigo,

Rogério Martins Simões

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Um desejo que se repete: FELIZ NATAL

 

 

 

Um desejo que se repete

Natal, tempo de preparação para uma festa muito especial – comemora-se precisamente nesse dia, o dia 25 de Dezembro, o nascimento de um Menino que permaneceu menino através dos tempos.

É por isso que o Natal é das crianças e a festa é toda delas.

Natal é um tempo de paz e de harmonia em que os adultos se recordam que já foram meninos, mas, também, querem entrar na festa esforçando-se por realizar os sonhos dos meninos.

Ou por que O tal Menino tudo fizesse para haver paz entre os homens, todos nós, crentes ou não crentes, aproveitamos este tempo para expressarmos, uns aos outros, o nosso amor pelo próximo e, quiçá, tentando apagar das memórias momentos menos felizes nas nossas relações interpessoais.

Que o verdadeiro espírito de NATAL prevaleça na nossa amizade, nas nossas diferenças, nas nossas casas, no nosso trabalho - com quem passamos a maior parte da nossa vida e, unidos, tudo faremos para construir um mundo melhor para todos.

(Um agradecimento muito especial para aqueles que me ajudaram a suplantar as barreiras que a vida me colocou na pista… Não preciso de citar os nomes, eles bem o sabem, obrigado.)

Vou concluir desejando a todos, sem excepção, um Natal de partilha e muito amor e que o ano de 2011 nos dê tudo o que de bom desejamos, ou devemos desejar.

Feliz Natal

Feliz ano novo

Rogério Martins Simões

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Por favor não me filtrem as núvens

 

Por favor não me filtrem as nuvens

Rogério Martins Simões

 

Por favor não me filtrem as nuvens,

Que eu quero passear à chuva

E atravessar a tempestade cantando!

 

Por favor não levem

As tempestades para vossas casas!

Deixem-me ao menos louco,

Despido de preconceitos abstractos,

Com meu corpo molhado,

Sem trapos,

A minha face lambida de água pura.

 

Olhem! Meus cabelos molhados,

Pingando ao som da chuva,

E esta denúncia de homem…

Encolhida num cacho de uva…

 

Por favor não me filtrem as nuvens!

Deixem-me, agora, só com a chuva!

Como um amante febril

Percorrendo de beijos

O ermo da sua loucura,

Como o quente da água pura

Que escorre do meu corpo,

Vaporizando liberdade.

3/03/1979

(Publicado no “Index poesis”, caderno n.º75,

Almada, Abril de 2009)

(Registado no Ministério da Cultura

- Inspecção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.P. –

Processo n.º 2079/09)

Poemas de amor e dor conteúdo da página

BEIJOS

 

 

 

BEIJOS

Rogério Martins Simões

Sempre o amor

sempre a paixão

sempre o desejo

sempre a carícia

E se o ensejo

não nos dá tréguas…

não viva eu

sem trilhar léguas

nos versos que beijam

sem malícia

o teu coração

Lisboa, 02-12-2010 18:24:22

Poemas de amor e dor conteúdo da página

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR