Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda




Rogério Martins Simões

Cria o teu cartão de visita Poemas de amor e dor conteúdo da página

26.07.11

 

 

 

AH! ESTE SOL

Rogério Martins Simões

 

Preciso deste silêncio

De enrolar as minhas palavras em silêncio

Se as leres… no bulício da cidade

Não te dirão nada

Absolutamente nada

Pois ainda não encontraste paz

Enche os pulmões deste ar refeito

E enfeita o teu rosto de glória

Tantos malmequeres

Ah! Este sol.

25-07-2011 23:27:42

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

22.07.11

 

VIGÍLIA

Rogério Martins simões

 

Entrei pela janela e era luz

Acerquei-me de ti

E a noite murmurou

Era ainda muito cedo…

Uma gota de orvalho

Gotejava em teus olhos

E nem deste pela manhã fria…

 

Na luz do meu olhar

Acendeste uma fogueira

Com que secaste a última lágrima

Que escorria do meu rosto

Tomei as tuas mãos

E levei-as ao coração

Enquanto a noite finalmente adormecia…

Meco, 22-07-2011 00:28:52

 

(O direito de autor é reconhecido
independentemente de registo,

depósito ou qualquer outra
formalidade

artigo 12.º do CDADC.Lei 16/08de 1/4)

(A registar no Ministério da Cultura

- Inspeção-Geral das Atividades
Culturais I.G.A.C. –

Processo n.º 2079/09)

 

 

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

19.07.11

 

Quando o teu corpo adoçava o tempo

Rogério Martins Simões

 

Quanto no teu olhar

reluzia a sedução,

cristais acenavam

em teu corpo

descoberto…

E o meu corpo,

Em teu corpo

Adoçava.

 

Era um só corpo

que abraçava,

a todo o tempo,

quando o tempo

contigo dançava,

num sémen,

onde o desejo

não era abstracto

e recomeçava…

 

Além de nós,

havia um tempo

que anunciava

um vento criador.

Uma ligeira brisa

separava

os nossos corpos do fogo…

 

Depois, eras a diva

num período de advento,

trazias no teu corpo

estrelícias

de chuva e vento…

 

Logo, a terra, nos revestia

de volúpia

para que

recomeçássemos…

Suspiros

da procriação

misturavam-se,

em cores férteis,

nos corpos nus…

(cio da natureza,

entreaberto…)

 

Depressa a natureza

descobriu

desvarios

sem tempo,

de um tempo

de germinação,

E não mais o vento

te esfriou o calor,

com que te avermelhou

o rosto,

em contratempo...

 

Que rápido

passou o tempo

através de nós,

momento

a momento,

quando no teu corpo

adoçava o vento…

 

Lisboa, 05-11-2007 22:44

(Registado no Ministério da Cultura

- Inspecção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.C. –

Processo n.º 2079/09)

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

16.07.11

 

 

 

HORIZONTE

Rogério Martins Simões

 

Percorri o teu olhar e não me viste,

Estavas sentada nos limites do horizonte,

Não sei o que nessa hora sentiste,

Havia entre nós uma velha ponte…

 

Recordei ao passar por ti quando vinhas,

Debruçada nos arautos da lua,

Os viços que entravam pela porta,

E tu trancavas as portas da rua.

 

Não te quero desviar do que vês.

Talvez a ponte já lá não esteja,

Se está, pintaram-na outra vez,

E com a cor dos teus olhos não se veja.

 

Hoje, entregue a mim, nem descobriste

Que havia entre nós uma ponte,

Procuraste e não me viste:

Desvanecendo nos confins do horizonte.

Meco, 16-07-2011 19:28:39

Poemas de amor e dor conteúdo da página

15.07.11

 

 

 

EFIGÉNIA COUTINHO

PARABÉNS
Rogério Martins Simões

 

Mais um dia, mais um ano,

Com muitas alegrias p´ra viver,

Seja assim, até descer o pano,

Com este seu amigo a ver.

 

Feliz aniversário com casa cheia,

Com amor para dar e receber,

Pois cacos e trapos são areia…

Que melhor presente poderá ter?

 

Um forte abraço e votos de felicidade

Com casa cheia de amor, amizade e muita saúde

São os votos deste seu amigo,

ROMASI

 

 

A BELEZA DA VIDA
Efigênia Coutinho
  Dedicado a todos pela passagem do meu Aniversario

 

A beleza da vida, não depende
da quantidade das flores recebidas
mas sim do seu aroma que vai colorindo
de Felicidade transmitida por cada um
dos amigos aqui presentes ao presente dia!·



Assim é a Felicidade, uma variedade
de muitos momentos que colhemos ao
longo desta passagem chamada Vida!
Pequenos gestos tornam-se grandiosos
diante da grandiosidade de vossos corações!


A vida fica melhor quando se tem bons amigos
para compartilhar e celebrar a própria vida com
suas realizações e suas alegrias, sonhos e felicidades.


OBRIGADA A TODOS VOCÊS QUE FESTEJARAM
AO MEU LADO ESTE DIA 15 - 07 - 2011
Efigênia Coutinho

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

13.07.11

 

 

 

 

OS DIAS AMARGOS DE UM DOENTE DE PARKINSON

2011-07-10

Rogério Martins Simões

 

Nas minhas pernas assento

As minhas mãos trémulas de derrota…

Aos meus pés está este chão

Que ainda não me vence.

A minha cabeça preenche vitória…

Na vitória estas linhas escritas

Que não irei entender…

Depois…

Depois? Logo se verá.

A sorte continua desse lado.

Não! A sorte está comigo que ainda escrevo

Mesmo que eu não entenda o que escrevi.

No fundo não escrevo nada que não tivesse escrito…

Grito!

Um grito percorre sem glória a minha alma…

 

 

 

Meco, 10-07-2011 15:09:41

(Diálogos da alma e do poeta: os dias amargos de um doente de Parkinson)

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

10.07.11

 

 

DARFUR - SUDÃO

Rogério Martins Simões

 

Era uma noite, tão noite,

nem uma só luz existia,

as velas, acesas, não brilhavam.

Lá fora nem luar havia…

 

Metia medo!

Ninguém dizia!

Ninguém murmurava…

O silêncio era gélido!

Esperavam o dia,

e os corações sangravam…

Medrosa agonia,

Metia medo!

Ninguém diria…

 

Vieram os cavaleiros de negro…

Despedaçaram as portas!

Violaram! Mataram!

Derramaram o sangue!

Verteram-se as lágrimas!

Levaram os moços!

Incendiaram o chão!

Queimaram os corpos em pira!

Envenenaram os poços!

E partiram sedentos de ira!

Que tragédia é essa - Sudão?

 

Voltou o dia!

Fez-se noite!

Viram-se de novo as estrelas!

Que é do teu povo Sudão?

4/4/2005

(Dedicado a João Paulo II)

 

(Registado no Ministério da Cultura

- Inspeção-Geral das Atividades Culturais I.G.A.C. –

Processo n.º 2079/09)

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

08.07.11

 

$ JUIZ DINHEIRO $

Romasi

Rogério Martins Simões

 

O jogo já começou

A luta é de morte

O dinheiro ataca!

O dinheiro defende!

Ao redor, gente, multidão,

Lançam as fichas do jogo...

Uns o atacam...

Outros o defendem...

E todos o acusam...

E entre o azar e a sorte

Alguém perdeu

Alguém lucrou...

Ficha eterna!

Não há dinheiro!

Banca rota!

E o povo sobe ao cadafalso...

Porque não tem dinheiro

Mas está inocente...

11/1968

(Registado no Ministério da Cultura

- Inspeção-Geral das Atividades Culturais I.G.A.C. –

Processo n.º 2079/09)

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



A MINHA GRATIDÃO

 PARA COM OS SEGUINTES AMIGOS

 QUE SEMPRE APOIARAM A MINHA POESIA


A MINHA MUSA

  • Elisabete M Sombreireiro Palma

    EFIGÉNIA COUTINHO

  • Efigénia Coutinho Poesia

  • Efigénia Coutinho SAPO

  • Efigénia Coutinho Poesia com imagens

    FERNANDO OLIVEIRA

  • Na escrivaninha com o autor

  • Instantâneos Urbanos & Naturais

    DANIEL CRISTAL

  • O Blog de Daniel Cristal

    ERMELINDA TOSCANO

  • Poetas Almadenses

    COPIE OS POEMAS GRAVADOS em MP3
    Voz de Luis Gaspar

    Estúdios Raposa

  • CARROSSEL

  • VOLTEI

    PODCAST de 2006

  • Rogério Martins Simões

  • amrosaorvalho.gif

    MEIO HOMEM INTEIRO
    Rogério Simões
     
    Meia selha de lágrimas.
    Meio copo de água
    Meia tigela de sal
    Meio homem de mágoa.
    Meio coração destroçado
    Meia dor a sofrer.
    Meio ser enganado
    Num homem inteiro a morrer.
    11/4/1975

    Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

    Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub