Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda




DESFIANDO ORAÇÕES

IMG_0918.JPG

 

DESFIANDO ORAÇÕES

Rogério Martins Simões

 

Olhou as paredes que ficavam nuas,

Sem compreender todos os porquês.

Encerraram as portas e eram duas…

Aquando numa lágrima se desfez.

 

Tinha os cabelos brancos como luas;

Trazia nas mãos o terço que ela fez,

Murmurava orações que foram suas:

Antes morresse por uma só vez…

 

Entrou, chorou, e sentiu-se perdida.

Era tão triste o seu final de vida:

Naquele estranho e tão amargo lugar.

 

E quando pareciam todos dormir,

Cercada de luz orou e quis partir:

Sorriu! E ninguém mais a viu acordar…

 

Meco 12-12-2012 23:58

29/01/2016

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

SORRINDO À DOR PARA VIVER

Golpe de Asa no Sequeiro_F_3d.jpg

 

SORRINDO À DOR PARA VIVER

Rogério Martins Simões

 

Amarram-se as minhas mãos com que escrevo.

Perco os movimentos tremem os dedos.

Perdi a esperança. Perdi o enlevo.

Enfraquece-me a voz. Crescem os medos

 

Trina tão forte o meu despertador,

Lembrando os comprimidos a tomar.

Sou fábrica de espasmos e de dor.

Sofro sem turnos sem mais descansar.

 

Vai! Que maldita seja a tua presença.

Que tanto aqui me tens feito sofrer.

Parkinson: terás minha indiferença.

 

Que diferente eu te seja na viagem:

Baloiçando meu corpo na coragem.

Sorrindo eu, mesmo à dor, para viver.

 

Meco, Praia das Bicas, 03/12/2014 22:51:43

Alterado, 10/01/2016

Poemas de amor e dor conteúdo da página

ESTA MINHA VIDA

eu5maio1952PB.jpg

5/1/1951 Eu com 18 meses de idade

 

 

ESTA MINHA VIDA…

Rogério Martins Simões

 

Esta minha vida certa,

Que incerta desliza

Como a légua por caminhar.

Que não me dá trégua,

Desespera,

Desesperada...

No antever

Do percurso a trilhar.

 

Passeia neste espaço

Onde o meu traço

Vai deixando marcas:

Linhas ligeiras e fracas,

Não regulares,

Que vão caindo aos poucos

Nas teias do meu corpo,

Que teima em me prender.

 

Desço,

Estou descendo nos sucessivos

E intrometidos sinais proibidos.

Desço esta subida inclinada.

Este lance de escada,

Que me para em cada mirante

Para me perguntar...

-Quantas gerações trazes contigo?

 

Risco e rabisco:

- Que faço por aqui sentado?

- Glória esta de ainda estar vivo!

 

- Se me conhecesses,

Quando passavam os dedos pelos meus cabelos,

Não terias deixado cortar

 Os meus lindos caracóis…

 

Meco, 09-08-2012 21:14:24

 

 

 

 

 

 

 

 

ESTA MINHA VIDA…

Rogério Martins Simões

 

Esta minha vida certa,

Que incerta desliza

Como a légua por caminhar.

Que não me dá trégua,

Desespera,

Desesperada...

No antever

Do percurso a trilhar.

 

Passeia neste espaço

Onde o meu traço

Vai deixando marcas:

Linhas ligeiras e fracas,

Não regulares,

Que vão caindo aos poucos

Nas teias do meu corpo,

Que teima em me prender.

 

Desço,

Estou descendo nos sucessivos

E intrometidos sinais proibidos.

Desço esta subida inclinada.

Este lance de escada,

Que me para em cada mirante

Para me perguntar...

-Quantas gerações trazes contigo?

 

Risco e rabisco:

- Que faço por aqui sentado?

- Glória esta de ainda estar vivo!

 

- Se me conhecesses,

Quando passavam os dedos pelos meus cabelos,

Não terias deixado cortar

 Os meus lindos caracóis…

 

Meco, 09-08-2012 21:14:24

Poemas de amor e dor conteúdo da página

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR