Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda




Rogério Martins Simões

Cria o teu cartão de visita Poemas de amor e dor conteúdo da página

28.02.17

Person offering flower1.jpg.jpg

 

 

PARKINSON E POESIA

“ANTIBIÓTICO DEIXA CONTROLO DO PARKINSON MAIS PRÓXIMO”

Rogério Martins Simões

 

O texto que escrevi há uns anos, e que seguidamente transcrevo parece uma premonição do que, a ser verdade, deixa o controlo do Parkinson mais próximo.

Vejamos agora as primeiras palavras deste artigo que pode e deve ser lido neste link: http://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-da-saude/estudo-com-antibiotico-deixa-controle-do-parkinson-mais-proximo/

 “Foi ao acaso que pesquisadores brasileiros descobriram que o antibiótico doxiciclina – usado há mais de meio século contra infeções bacterianas – pode ser indicado em doses mais baixas para o tratamento do Parkinson. O estudo foi publicado na revista “Scientific Reports”, do grupo Nature.”

 

RETOMO AO ARTIGO QUE ENTÃO ESCREVI: PARKINSON E POESIA

 

 

Tendo por certo a morte, é na vida que nos vemos e revemos. Então, com fé ou esperança, movemos montanhas, por vezes de ilusões, mas movemos esperando que um milagre qualquer aconteça

 

Acredito que a minha fé ajude a encarar os momentos mais difíceis, com mais tranquilidade, sempre à espera de um milagre. Mas, também, fico na esperança de conseguir que, num dado momento, sobre por aí uma pílula milagrosa que nos cure.

 

No século passado, todos que estavam diagnosticados com o bacilo da tuberculose, antes de ter sido descoberta a penicilina; quanta esperança em alguns; quanto desalento para outros e, afinal, no limiar da descoberta do tal antibiótico muitos dos que tinham esperança morreram e muitos dos que não acreditavam na cura sobreviveram.

 

Quiçá, muitos, na esperança, não desistiram da vida - pela vida, e viveram mais uns anos na terra, graças à ciência, mas, sobretudo, ficaram vivos por não terem perdido a esperança.

 

Acredito com firmeza que alguém me dê a notícia que tanto anseio: A cura para a doença de Parkinson.

 

Que difícil é mostrar os “estragos” visíveis que a doença de Parkinson causa em nós.

Que mais não seja, que os meus tremores e os temores sirvam para vos incentivar a não desistirem de viver e de lutar pela cura.

Quanto à poesia: irei continuar a escrevê-la e a declamá-la mesmo que chore...

 

Amanhã estarei melhor

Rogério Martins Simões

 

Hoje continua o lastro

do meu estado de alma

do dia de ontem.

 

Estou envolvido

numa teia que enleia.

 

Estou como que pregado

a um madeiro

sem pregos ou cordas.

 

Solto uma terrível agonia

e, sem dar conta,

nem vómitos dão a perceber.

 

Sou uma represa invisível

num turbilhão de água

pesarosa.

 

Se ao menos chorasse.

Se ao menos morresse.

 

Sou um ser solitário

acompanhado

com a mulher mais presente

- O amor da minha vida.

 

Será do tempo?

 

Hoje meu corpo

nem o Tejo espreitou!

Sinto-me agarrado a nada,

e nem mesmo a lua

terá saudades em me ver.

 

Este vazio imenso

parece furtar

as palavras do coração.

 

Parece levar a alma,

que renascia,

quando noite fora partia,

pelo Tejo,

em busca de uma bruma de saudade.

 

Será do Inverno?

 

Não! O Inverno esquivou-se

nas estações esquecidas,

onde nem as carruagens

de terceira classe param.

 

Amanhã estarei melhor!

2008

 

Termino formulando um desejo: que tão depressa quanto possível nos seja prescrito essa pílula milagrosa.

Deixem-me sonhar!

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

27.02.17

 

COMPANHEIROS DOENTES DE PARKINSON

Há muito que esperava por esta notícia, que nos chega, neste artigo, do Brasil Estranhamente, ainda nem de uma só rádio ou televisão nacional terá dado notícia. Se a deu não a escutei nem dei conta de tal. O artigo começa assim:

 “Foi ao acaso que pesquisadores brasileiros descobriram que o antibiótico doxiciclina – usado há mais de meio século contra infeções bacterianas – pode ser indicado em doses mais baixas para o tratamento do Parkinson. O estudo foi publicado na revista “Scientific Reports”, do grupo Nature.”


Sim eu sei que estamos no Carnaval e que do Brasil só se mostra o que dá audiência…

Caso este antigo antibiótico possa abrir o caminho para a cura da doença de PARKINSON, ou para a parar, muitos “lóbis” se irão erguer para denegrir.

Só vos peço que estejam atentos a este conhecimento, que deve ser de todos nós doentes de PARKINSON.

Rogério Martins Simões

 

http://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-da-saude/estudo-com-antibiotico-deixa-controle-do-parkinson-mais-proximo/

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

19.02.17

0065.JPG

 

POR QUEM A MINHA ALMA SE AUSENTA        

Rogério Martins Simões

 

Aquela por quem minha alma se ausenta,

Divina musa que o meu tempo laça,

É sal que me tempera; que reinventa

A noite, quando a noite nos abraça…

 

Aquela que me tenta e tanto atenta:

Ilumina, fascina, e tem na graça:

A graça com que embala e movimenta,

Meu corpo que perdido esvoaça.

 

Aquela que na dor me faz rochedo;

Que por amor me perco e perco o medo:

É voz deste sofrer intolerante.

 

E se nem andar sei aquando ausente,

Aquela por quem meu amor tanto sente:

É beijo deste belo e terno instante.

 

Praia das Bicas, 21/10/2013 20:53:10

Simões, Rogério, in “GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO”,

(Chiado Editora, Lisboa, 1ª edição, 2014)

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

10.02.17

Golpe de Asa no Sequeiro_F_3d.jpg

 

SÓ!

Rogério Martins Simões

 

Só! Todos já saíram.

Só! Estou a reparar:

Nos cabelos brancos

E numas quantas marcas

No fundo do meu olhar.

Só! Daqui a pouco

Todos estarão de volta.

E o que mais me importa

É que me vejam

Mesmo que nem reparam

Como estou cansada.

Só! Como todos cresceram

Sem darem conta

Que sobre mim recaem

Todos os cuidados.

Só vou contando os anos

Festejando os danos

Pelos aniversários.

Mas amanhã será sábado.

E ao sábado tudo é diferente

Amanhã só não estarei

E à noitinha

De tão perto… Tão rente…

Noutro olhar voltarei

E serei rainha...

 Meco, 10/02/2017 00:42:47

Poemas de amor e dor conteúdo da página

01.02.17

IMG_1452.JPG

 

PACTO COM A NATUREZA

Rogério Martins Simões

 

Tenho um pacto com a natureza:

Divindade visível, palpável

Que me toma, que me abraça,

Conhece o pacto que eu fiz com ela.

Por isso deixa-me viver a espaços,

Entre as copas das árvores,

Ao vento, à tempestade,

No silêncio ou no canto das aves.

 

Como eu sou feliz

Deslizando suavemente

Sobre o mar que daqui avisto,

E o vento que dali me traz,

Nas asas de uma gaivota.

 

Tenho um pacto com a natureza

Já vos disse…

Aprendi com ela a ir à fonte:

Abraço as árvores e no chão

de joelhos, docemente,

Inclino o meu corpo em oração

Beijando a água pura da nascente…

Meco, 01/02/2017 22:46 (alterado em 02/02/2017 15:06)

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



A MINHA GRATIDÃO

 PARA COM OS SEGUINTES AMIGOS

 QUE SEMPRE APOIARAM A MINHA POESIA


A MINHA MUSA

  • Elisabete M Sombreireiro Palma

    EFIGÉNIA COUTINHO

  • Efigénia Coutinho Poesia

  • Efigénia Coutinho SAPO

  • Efigénia Coutinho Poesia com imagens

    FERNANDO OLIVEIRA

  • Na escrivaninha com o autor

  • Instantâneos Urbanos & Naturais

    DANIEL CRISTAL

  • O Blog de Daniel Cristal

    ERMELINDA TOSCANO

  • Poetas Almadenses

    COPIE OS POEMAS GRAVADOS em MP3
    Voz de Luis Gaspar

    Estúdios Raposa

  • CARROSSEL

  • VOLTEI

    PODCAST de 2006

  • Rogério Martins Simões

  • amrosaorvalho.gif

    MEIO HOMEM INTEIRO
    Rogério Simões
     
    Meia selha de lágrimas.
    Meio copo de água
    Meia tigela de sal
    Meio homem de mágoa.
    Meio coração destroçado
    Meia dor a sofrer.
    Meio ser enganado
    Num homem inteiro a morrer.
    11/4/1975

    Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

    Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub