Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda




O BARCO PARTIA À VELA

barcos (20).JPG

 

O barco partia à vela

Rogério Martins Simões

 

Éramos dois loucos

Apaixonados!

E descobríamos na noite

O que perdemos

Desencontrados.

 

O dia não passava.

Ficávamos dispersos…

A noite desesperava

Entre danças, copos

E ficávamos submersos

No fogo dos nossos corpos.

 

E soprávamos as areias do deserto,

Para esconder a cidade

Que espreitava à janela…

 

Não havia tempo para as estrelas...

E o ardor soprava tanto:

Que o dia cinzento era branco

E o barco partia à vela…

 

01-11-2006 22:56

 (Registado no Ministério da Cultura

Inspeção-Geral das Atividades Culturais I.G.A.C.

Processo n.º 2079/09)

(Próximo livro)

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Vieram de longe

povoaantiga01.jpg

 (Póvoa anos 60 século passado)

 

Vieram de longe

Rogério Martins Simões

 

Vieram de longe de onde se avista a pinha!

De olhos esperançados e o rosto enrugado,

Vieram para Lisboa para perto da linha:

Sempre por perto porque o trem fica ao lado…

 

Estrangeiros na sua terra; que estranha sina

Que os viu chegar no comboio apinhado.

Com rugas do cansaço e mãos de resina.

À procura de trabalho mais remunerado.

 

Trabalhavam sol a sol. Qual terra prometida?

Visitavam a aldeia já cansados da vida,

Onde colhiam os cachos e faziam o vinho…

 

Esventraram montes e derrubaram ruínas…

Construíram pontes, povoaram colinas…

E regressaram à aldeia no final do caminho…

 

2004-04-23

(Aos meus pais)

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

NEM UMA SÓ PALAVRA PERDIDA

bete (229).jpg

 

Nem uma só palavra perdida

Rogério Martins Simões

 

Nem uma só palavra perdida!

Nem um só gesto desmedido!

É como um encanto, que encanta.

Vou ter saudades da vida.

 

Que bonitos nós vamos!

Será que nos veremos depois?!

Que pena não termos nascido mais tarde,

Para mais cedo nos conhecermos os dois.

 

Assim vou ter saudade,

Deste encanto que encanta a vida.

O teu amor me renova e cativa:

Nem uma só palavra perdida…

Que lindos nós vamos

Neste percurso tão curto de vida.

 

25/10/1996

 

(Registado no Ministério da Cultura

Inspecção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.C.

Processo n.º 2079/09)

A publicar no próximo livro

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Regressaram as papoilas

0001 (496).JPG

 

 

 

REGRESSARAM AS PAPOILAS

Rogério Martins Simões

 

Do Alto, ao Baixo Alentejo,

Regressaram as papoilas vermelhas

Ao chão seco pastorejo

Num tapete debruado, a Arraiolos,

Que se estende num manto,

Ondulado, como ovelhas.

19-04-2005 18:34

 

(Registado no Ministério da Cultura

- Inspeção-Geral das Atividades Culturais I.G.A.C. –

Processo n.º 2079/09)

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR