Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda

O MONTE

Tela de Tiago Simões e amiga

O MONTE, um poema de meu pai, José Augusto Simões

 

Quem conhece a minha poesia que desde 2004 tenho divulgado no meu blog, “POEMAS DE AMOR E DOR”, e mais recentemente no Facebook, sabe quanto o meu querido pai, e meu mestre, a influenciou.

O meu gosto pela poesia começou cedo, nos anos 50 do século passado,  pois bem cedo nos serviu à mesa, como sobremesa, os poemas dos grandes poetas e os seus lindamente recitados.

Também já o escrevi, e volto a dizer: durante a década de 60 do século passado era o meu pai que corrigia os meus poemas; agora sou eu que revejo os seus.

Tal como o meu pai o fez durante muitos anos, também rasguei a minha poesia. Chegámos assim a 2004 quando “voltei a escrever e já não queria” e procurei incentivar o meu pai a fazer o mesmo.

Para concluir a apresentação deste poema (canção de roda), e de mais dois que tenho para passar ao computador, quero expressar, mais uma vez, a admiração, o amor e o carinho que os meus queridos pais hoje e sempre me merecem.

De seu filho

Rogério Martins Simões

 

 

O MONTE

José Augusto Simões

 

Subi ao cimo do monte

Para beber água fresquinha

Mas não encontrei a fonte

Fiquei com a sede que tinha

 

Quando descia p´ra estrada

Encontrei uma pastorinha

Com a sua cantarinha

Naquela ponte sentada

 

Assim que entrei na ponte

Ela me disse por graça

- Beba água da minha fonte

Eu a dou a quem passa

 

Encontrei  assim a menina

Não sabia onde ela andava

Com aquela água fresquinha

Que a minha sede matava

 

Matei a sede que tinha

Com aquela água sagrada

Ao beber da cantarinha

Daquela menina sentada.

Lisboa, 25 de Abril de 2012

O poeta, José augusto Simões, nasceu na Póvoa, Pampilhosa da Serra, em 1922

 

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR

Em destaque no SAPO Blogs
pub