Sexta-feira, 8 de Julho de 2016

Minha mãe mandou-me à Vila

 

 

Minha mãe mandou-me à Vila

José Augusto Simões

 

Minha mãe mandou-me à Vila,

Enganei-me no caminho,

Quando dei pelo engano,

Já estava em Moninho.

 

Quando eu ia a chegar

Havia festa e arraial.

Segui por outros caminhos.

Fiz encontro no Sobral.

 

Quando estava no Sobral,

Tudo mudou de feições,

Segui por um reles caminho,

Fiz paragem nos Covões.

 

Estando eu nos Covões,

Logo mudei as ideias,

Atravessei o rio Unhais,

Assim, cheguei às Aldeias.

 

À saída das Aldeias

Tomei outra direcção:

Caminhei mais uma hora,

Estava no Vale Serrão

 

Saindo do Vale Serrão

Vi que não tinha sapatos.

Caminhei mais dois quilómetros,

Assim cheguei aos Lobatos.

 

Quando saí dos Lobatos,

Avistei uma serra airosa,

Desci o Cabeço da Urra,

Estava na Pampilhosa.

 

Ao chegar à Pampilhosa,

Armado em papo-seco…

Em vez de seguir prà Póvoa

Fui parar a Pescanseco.

 

Pescanseco terra amiga,

Aí acabou a caminhada:

Comecei a andar à pressa,

A noite estava chegada.

 

Acordei, passou o sonho,

Estava tudo bem certinho:

Não fui a terra nenhuma!

Nem sequer fui a Moninho.

 

Lisboa, 16 de Julho de 2009

Poemas de amor e dor conteúdo da página
publicado por poetaromasi às 22:12
link do post | ##COMENTAR## | favorito
Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2015

DE QUEM MEUS OLHOS NU...

DE QUEM MEUS OLHOS NUNCA SE ESQUECEM Rogério Martins Simões De quem meus olhos nunca se esquecem, Que nos meus so...

Ler artigo
publicado por poetaromasi às 21:44
link do post | ##COMENTAR## | favorito
Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2014

ÁGUA DA FONTE

ÁGUA DA FONTE José Augusto Simões Fui buscar água da fonte, P´ra minha casa levei, Passei uma velha ponte, Outr...

Ler artigo
publicado por poetaromasi às 19:50
link do post | ##COMENTAR## | favorito
Quinta-feira, 16 de Janeiro de 2014

O PRATO ESFRIAVA

(Nesta fotografia estou eu com 10 anos de idade e o meu irmão Jaime Simões) O PRATO ESFRIAVA! Rogério Marti...

Ler artigo
publicado por poetaromasi às 19:40
link do post | ##COMENTAR## | favorito
Segunda-feira, 24 de Junho de 2013

DESTESTO GUERRAS

Detesto guerras Rogério Martins Simões A minha alma passeia; Viaja pelos pinhais. E vira caruma, Cuco e pinha. A m...

Ler artigo
publicado por poetaromasi às 12:54
link do post | ##COMENTAR## | favorito
Sábado, 4 de Agosto de 2012

Fogo na Póvoa – Pampi...

FOGO NA PÓVOA – PAMPILHOSA DA SERRA (MEMÓRIAS) Um dia, quando era menino, brincava no alto da serra com outros me...

Ler artigo
publicado por poetaromasi às 22:10
link do post | ##COMENTAR## | Ler comentários (1) | favorito
Sábado, 5 de Novembro de 2011

Fui ver o meu lindo a...

FUI VER O MEU LINDO AMOR José Augusto Simões Fui ver o meu lindo amor Apanhar uvas na vinha Não querendo eu rum...

Ler artigo
publicado por poetaromasi às 19:54
link do post | ##COMENTAR## | Ler comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 29 de Setembro de 2011

Um púcaro de saudade....

UM PÚCARO DE SAUDADE… Rogério Martins Simões Regressei à velha casa da aldeia. E o trinco da porta sorriu… Entrei! ...

Ler artigo
publicado por poetaromasi às 23:20
link do post | ##COMENTAR## | favorito
Sábado, 30 de Julho de 2011

SOS FLORESTAS - Video

Ler artigo
publicado por poetaromasi às 23:14
link do post | ##COMENTAR## | favorito
Quinta-feira, 11 de Novembro de 2010

Entrevista ao Jornal ...

ROGÉRIO MARTINS SIMÕES (O POETA ROMASI) Um pampilhosense “alfacinha”, um “alfacinha das Serras da Pampilho...

Ler artigo
publicado por poetaromasi às 17:31
link do post | ##COMENTAR## | favorito

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Solicita-se a quem os copiou alterando o nome, não respeitando o texto ou omitindo o seu autor que os apague ou os reponha na fórmula original com os respectivos créditos. Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR