Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda

Meus olhos veem, minha alma chora

MEUS OLHOS VEEM, MINHA ALMA CHORA

 

M.A.Vaz da Silva Augusto

 

Meus olhos veem
Minha alma chora.

Nesse incessante olhar
Que não sentem
Mas veem,
Numa alma que não vê
Mas sofre e sente.

Meus olhos veem
Minha alma chora.

Na busca da perfeição
Perdi meu olhar
Tremulo, inseguro,
Tampouco minha alma sente
Perfeito que seja meu olhar.

Meus olhos veem
Minha alma chora.

E nos olhos que veem
E na alma que sente
Procuro, busco e rebusco
Outra visão do olhar
A paz sofrida da alma.

Meus olhos veem
Minha alma chora.

Sinto-me tão cansado,
Sem ânimo que eleve
Meu olhar perdido
Ou alma que revele
Sentimentos idos.

Meus olhos veem
Minha alma chora.

C.Rainha, 12/05/2012
M.A.Vaz da Silva Augusto
(reservados direitos de autor)

 

(Dedicado ao amigo e poeta Rogério Martins Simões)

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Meu tempo corre...

Foto de 1970 nas Caldas da Rainha. Serviço Militar

 À esquerda um camarada que ficou em 2º lugar na prova da Unidade militar no 2º turno de 1970. À direita, eu, o então atleta do Sporting Clube de Portugal, Rogério Martins Simões após ter vencido a corrida final da Unidade. Como o tempo corre! Resta-me a lembrança e as "voltitas" que a Parkinson me deixa fazer. E por meio de tudo isto, ainda existe alguma esperança apesar de muitas vezes me sentir demasiado desesperado e  triste...

Sejam todos felizes com muita saúde!

Rogério Simões

ROMASI

 

 

MEU TEMPO CORRE
Rogério Martins Simões
 
Meu tempo corre!
Corre sem tempo…
E lentamente trepo
Nas minhas ilusões…
 
Os meus sentidos
Quase não são sentidos;
E os meu passos
São passos perdidos
Em busca do tempo.
 
Meu tempo corre.
Corre o meu tempo.
Mas não tem sentido:
Sem ilusões!
Sem paixões!
Inalterável e perdido…
 
O tempo corre
Corre em todas as situações
Volta quando se descobre
Os sentimentos e as emoções.
 
Que importa que o tempo voe
Se teu voo é um navio
Que não parte sem saudade.
Que importa que teu ai ecoe…
Se o grito é um pavio
Chama e hino à liberdade…
 
Bendito sejam os laços
Sem baraços nem sarilhos…
Correm bem cedo a meus braços
Os meus queridos filhos.
 
Meu tempo corre.
Corre o meu tempo.
Agora tem sentido!
1989

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR

Em destaque no SAPO Blogs
pub