Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda




Rogério Martins Simões

Cria o teu cartão de visita Poemas de amor e dor conteúdo da página

20.01.14

Precisamente um ano depois voltou a tempestade e destruiu casas e haveres aos campistas. 
Ao inicio da noite do dia 19/1/2014, um vento ciclónico acompanhado de chuva forte fez cair árvores sobre algumas casas do parque. Foi um grande susto, parecia que tudo voava e com uma violência fora do comum. Eram 3 da manhã quando amainou o vento e foi possível ter uma pequena ideia do que tinha acontecido. Quando rompeu a manhã podemos constatar e fotografar os estragos. 
Algo está a mudar na Terra onde, todos os dias, vamos assistindo ou tendo notícia de factos anormais, e extremos, que afetam todos quantos a habitam.

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

15.12.13

Meco 15/12/2013

MAR DE PRANTO

Rogério Martins Simões

 

Toda a noite este mar tanto bateu.

Toda a noite a falésia lá chorava.

Parecia que ali perto alguém rezava,

Ao destino que só a morte atendeu.

 

Rapina e tão cruel onda acometeu.

Feia noite que a falésia chocalhava.

E o mar que desde sempre salteava…

Voltou para levar quem escolheu.

 

Ah desprezível onda que assassina.

Ave agoirenta tu és, e na triste sina,

Pela manhã retine um cais de espanto…

 

Espalhas e recolhes tantas dores,

Flores! E tantas flores. Deitem flores:

Lágrimas e jasmins ao mar de pranto.

 

Meco, Praia das Bicas 15/12/2013 23:24:32

 

(Aos jovens que hoje morreram ou desapareceram na Praia do Meco)

 

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

13.10.13

PRAIA DAS BICAS

Rogério Martins Simões

 

Por caminhos discretos quis partir.

Areias sorriram ao vê-la passar

Nas ondas da praia se foi descobrir

Ao fogo da paixão se foi entregar…

 

Trazia num corpo alado de cegonha,

Asas brancas que no Meco deixou…

Cobiçada por todos, sereia risonha,

Pediu mais água à bica e ela cantou:

 

Não a coes com a peneira

Nem a agarres com a mão

Fui nascente, fui ribeira

Fui inverno, já fui verão

Cai esta lágrima ligeira

Da fonte do meu coração.

 

A deusa das águas, da água bebeu.

As águas voltaram ainda mais ricas.

Sesimbra, que a escutou, o nome lhe deu:

À formosa e tão bela: Praia das Bicas.

 

Praia das Bicas, 10/10/2013 03:19:35

 

(De acordo com a Lei os direitos de autor estão protegidos, independentemente do seu registo. A registar no Ministério da Cultura - Inspeção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.C. – Processo n.º 2079/09)

Poemas de amor e dor conteúdo da página

07.05.13

 

PRAIA DAS BICAS – FINALMENTE - COM ACESSOS

 


Quem frequentava a Praia das Bicas, há muito que esperava esta notícia: estão a ser construídos os acessos pedonais à praia.
Esta é certamente uma boa notícia para todos. Até à data todos os caminhos serviam para evitar a malfadada rampa e assim foi ao longo dos anos.

 


Hoje presenciámos o início das obras para implantar no terreno um caminho em madeira protegido por corrimão e, segundo uma fonte não identificada, as referidas obras terão um prazo de cerca de 3 semanas.

 


A obra é da iniciativa da Autarquia local: Câmara Municipal de Sesimbra a quem desde já agradecemos. Agradecemos, e todos ficaremos a ganhar, pois com estes novos acessos serão evitados os caminhos que destruíam as dunas e protegidas as pessoas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foram muitos os que caíram naquela rampa. Foram muitos os que se recusaram a descer e a subir. Finalmente existe um motivo para sorrir: Em Junho podemos finalmente aceder com mais segurança à Praia das Bicas.
Praia das Bicas, Meco, 07-05-2013 21:29:05

 

Rogério Martins simões

 

 

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

09.09.10

 

 

 

 

EU SOU UM ANJO…

(Mariana Relvas Cunha)

 

Eu sou um anjo

Com asas de cristal

Eu voo contra o vento,

Piso o céu e a terra

Durmo nas nuvens,

Leio no espaço

Brinco com os pássaros

Limpo o céu

Ajudo as pessoas

Curando doentes,

Encontrando perdidos

Dando comida a esfomeados…

Mas, de repente, oiço um galo a cantar

Um despertador a tocar

E acordo

Eu sozinha,

Na minha cama

Sem asas de cristal,

Que me levaram a conhecer todo aquele mundo.

(Mariana)


 

(Óleo sobre tela)

 

(Elisabete Sombreireiro Palma)

 

(outra mãe "coragem")

 

Para todos os que não tiveram o privilégio de conhecer a Mariana “A MENINA DA LUA” com muito amor.

Irene e Manuela

“Ponto M” Meco

 

Este belo poema foi escrito aos onze anos de idade por uma menina que, como ela então escreveu, tinha asas de cristal. A Mariana Relvas Cunha,” a menina da Lua” como os seus amigos carinhosamente a chamavam, nasceu em 09-09-1995, tendo falecido num trágico acidente no dia 05-05-2008.

Com a devida autorização das suas duas grandes amigas, do “PONTO M”, reproduzo este magnifico poema, precisamente, no dia em que a Mariana completava 15 anos de idade.

A Mariana, que não conheci, permanece viva na memória e no amor dos seus familiares e amigos.

 

Os grandes poetas são eternos!

 

Honra e glória aos poetas

 

À MARIANA

UM ANJO COM ASAS DE CRISTAL

 

Praia das Bicas, (Campimeco), Meco, 09/09/2010

Rogério Martins Simões

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

21.03.10



 

 

 

A poesia também se pode escrever por imagens. Hoje, Dia Mundial da Poesia, finalmente, e ao fim de mais 24 horas de trabalho, (como sabem para mim tudo é mais complicado…) consegui reunir num vídeo, que partilho convosco, as lindas fotografias e os vídeos da bela Praia das Bicas.
 
O vídeo que aqui deixo mostra a Praia das Bicas no Meco. Dizem os mais antigos que não se lembram de a ver assim - tantas rochas à superfície.
Mas a Praia das bicas terá sempre este encanto: águas límpidas, transparentes e puras a fazerem lembrar que afinal a natureza, no Meco, também se desnuda…
 
Para quem quiser saborear a linda música do vídeo que pode ser livremente recolhida no Site Jamendo, pedia para desligar por momentos o som do blog aqui ao lado.
 
Finalmente deixo um poema de 1969, tinha então 20 anos de idade.
Viva a poesia.
 
 
DESEJO
Rogério Martins Simões
ROMASI
 
Fui ver o pôr-do-sol
As ondas do mar
Fui e encontrei
Em cores de arco-íris
Com que sonhei
O teu amor.
Fui e encontrei
A tua vida.
 
Era noite
Olhei teu manto
De virgem
De natureza pura
E a única loucura
Que encontrei
Foi o luar
Que te beijava com ternura.
 
1969
 
(Registado no Ministério da Cultura
- Inspecção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.P. –
Processo n.º 2079/09)
 
Poemas de amor e dor conteúdo da página

09.03.10

 

(MONET)

 

 

ANTES...
Rogério Martins Simões
 
Antes que as águas
me façam sofrer...
corro com as mágoas
que não quero ver.
Antes que não ande
e não saia…
enrosco-me nas ondas
que vão dar à praia:
glória e prazer de rolar,
como o vento,
nas águas do mar.
 
Meco 2009
(Registado no Ministério da Cultura
- Inspecção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.C. –
Processo n.º 2079/09)
 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



A MINHA GRATIDÃO

 PARA COM OS SEGUINTES AMIGOS

 QUE SEMPRE APOIARAM A MINHA POESIA


A MINHA MUSA

  • Elisabete M Sombreireiro Palma

    EFIGÉNIA COUTINHO

  • Efigénia Coutinho Poesia

  • Efigénia Coutinho SAPO

  • Efigénia Coutinho Poesia com imagens

    FERNANDO OLIVEIRA

  • Na escrivaninha com o autor

  • Instantâneos Urbanos & Naturais

    DANIEL CRISTAL

  • O Blog de Daniel Cristal

    ERMELINDA TOSCANO

  • Poetas Almadenses

    COPIE OS POEMAS GRAVADOS em MP3
    Voz de Luis Gaspar

    Estúdios Raposa

  • CARROSSEL

  • VOLTEI

    PODCAST de 2006

  • Rogério Martins Simões

  • amrosaorvalho.gif

    MEIO HOMEM INTEIRO
    Rogério Simões
     
    Meia selha de lágrimas.
    Meio copo de água
    Meia tigela de sal
    Meio homem de mágoa.
    Meio coração destroçado
    Meia dor a sofrer.
    Meio ser enganado
    Num homem inteiro a morrer.
    11/4/1975

    Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

    Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2004
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub