Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda

POEMAS DE AMOR E DOR

Livro de poesia GOLPE DE ASA NO SEQUEIRO Editado pela CHIADO EDITORA Poeta: Rogério Martins Simões Blog no Sapo desde 6 de Março de 2004 Livro de poesia POEMAS DE AMOR E DOR (Chiado books) já à venda




INVENTO ESPERAS...

 

INVENTO ESPERAS

Rogério Martins Simões

 

Olhei o chão

Olhei o mar

E tu não chegavas

Ficaste pelas folhas caídas

Daquele outono distante

Quando disseste que me amavas

Agora morro de sede

na espera desse instante,

E sinto, apenas, a fome

das noites perdidas.

Por isso invento chegadas

Neblinas salgadas, gotas…

 

Não voltes! Tu és quimera!

Mesmo que, em meus olhos de primavera,

Só encontre gaivotas…

 

Meco, 06-06-2013 01:13:58

(Resposta a “ESPERA” de Margarida Vieira)

 

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Baile

BAILE

Rogério Martins Simões

 

Foi numa tarde que tardava,

Quando nem esperança havia,

O meu olhar ao teu se colava,

E logo naquele primeiro dia.

 

Veio a noite que me retalhava,

A vida que de mim tanto fugia.

E enquanto contigo dançava

A noite ciumenta desaparecia.

 

Trazias farripas nos teus cabelos,

Com que me prendias nos desvelos:

Olhos de carmim mulher amada.

 

E se o sol já vai alto e tardámos

É porque bem cedo nos amámos

Nos versos da madrugada.

 

Meco, Campimeco, 11-02-2013 20:11:06

De acordo com a Lei os direitos de autor estão protegidos, independentemente do seu registo. (A registar no Ministério da Cultura - Inspeção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.C. – Processo n.º 2079/09)

Poemas de amor e dor conteúdo da página

DOUTAS PALAVRAS DO CORAÇÃO

DOUTAS PALAVRAS DO CORAÇÃO

Rogério Martins Simões

 

Bom é partir!

Melhor é chegar!

Pois na ventura

nunca se sabe quem parte,

ou quem chega,

se quem  viaja

não tiver alguém à espera.

 

E se acaso tropeçar,

se não restar tempo

para a tempo chegar,

conhecerá alguém

os caminhos por onde andei?

 

E se derem pela tua falta,

se não fizeres falta:

chamar-te-ão pelo nome

se nem nome tens?

 

Volto a viajar

na têmpera das palavras.

Gosto das palavras!

De apregoar ao vento,

a minha presença,

para que tenham à mão,

a água pura e pão caseiro

quando chegar.

 

Levarei o pó da estrada

ou as algas do mar!

 

Para que saibas,

para que me reconheças,

olha-me nos pés descalços,

nos trapos rotos,

e nas doutas palavras do coração.

 

Levarei comigo o sal

para temperar

os novos conceitos de felicidade.

 

E se estiveres só,

à minha espera,

e não te der nada,

ainda assim

mereci a tua presença?

 

Não me esperes!

Vem ao meu encontro,

pelos caminhos

por onde,

ainda,

terei de andar!

 

12/11/2007

(Registado no Ministério da Cultura

- Inspeção-Geral das Atividades Culturais I.G.A.C. –

Processo n.º 2079/09)

 

 

Poemas de amor e dor conteúdo da página

Moira encantada

(Óleo sobre tela: Real Bordalo)

 

Moira encantada

Rogério Martins Simões

 

Foram sete os pescadores que avistaram

Uma moira encantada e por ela morreram.

Sete os pescadores que se apaixonaram;

Sete as colinas que em Lisboa nasceram.

 

Daí se diga agora daqueles que a amaram

Que ao subir o castelo d´ amor renasceram

A paz interior para sempre encontraram,

Da moira encantada nunca mais souberam.

 

Mas, em Lisboa, toda a gente a conhece.

Logo pela manhã, quando o dia amanhece,

Subo às sete colinas onde sempre a revejo:

 

A moira encantada é o nosso lindo Tejo

Que no mar da prata, carregado de luar,

A Cidade de Lisboa a todos vem beijar.

 

ROMASI

Meco, 15-06-2012 21:08:42

Poemas de amor e dor conteúdo da página

amrosaorvalho.gif

MEIO HOMEM INTEIRO
Rogério Simões
 
Meia selha de lágrimas.
Meio copo de água
Meia tigela de sal
Meio homem de mágoa.
Meio coração destroçado
Meia dor a sofrer.
Meio ser enganado
Num homem inteiro a morrer.
11/4/1975

Todos os poemas deste blog, assinados com pseudónimo de ROMASI ou Rogério Martins Simões, estão devidamente protegidos pelos direitos de autor e registados na Inspecção-Geral das Actividades Culturais IGAC - Palácio Foz- Praça dos Restauradores em Lisboa. (Processo 2079/2009). Se apreciou algum destes poemas e deseje colocar em blog para fins não comerciais deverá colocar o poema completo, indicando a fonte. Obrigado

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados. All rights reserved © DIREITOS DE AUTOR